Mais de 700 pessoas (779, ao todo) foram presas no Paraná durante o mês de março por diferentes crimes contra mulheres. Um balanço foi divulgado pela Polícia Civil nesta quarta-feira (27) em relação à operação Átria, realizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) com abrangência nacional. Por meio de ações educativas e repreensivas, o objetivo foi conseguir denúncias que levassem à proteção de várias vítimas, que sofrem diferentes violências em todo o estado.

crimes-mulheres-parana-policia-civil-3
Ações educativas resultam em mais de 700 prisões por crimes contra mulheres durante março no Paraná. Foto: Divulgação/Polícia Civil

Segundo a Polícia Civil, a ação aconteceu simultaneamente em 229 municípios do Paraná. Ao longo dos 27 dias, os policiais civis também apreenderam 31 armas de fogo, 29 armas brancas e 447 munições irregulares. Além disso, 4.610 boletins de ocorrência de violência doméstica e familiar foram registrados, 2.854 inquéritos policiais concluídos e 3.154 medidas protetivas solicitadas à Justiça.

A operação contou com a participação das polícias civis de todos os estados e do Distrito Federal, sob coordenação da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão do MJSP. A delegada Luciana Novaes concedeu entrevista e comentou o resultado obtido por meio das ações policiais.

Nós fizemos uma grande ação, além da ação preventiva da polícia no Paraná, fizemos uma grande ação em todo o estado, educativa, de conscientização, que têm um grande público-alvo. Tudo para mostrar que a mulher não deve ficar calada. O silêncio mata! A mulher tem que denunciar. Essa grande ação educativa repercute para nós. Quanto mais mulheres nos procuram nas delegacias, é porque nossa ação preventiva deu certo. Tenho certeza de que há um lugar onde ela pode pedir ajuda.

Luciana Novaes, delegada.

Segundo a delegada, as mais de 3 mil medidas protetivas solicitadas à Justiça, que buscavam o efeito de “preciso de afastamento do agressor do lar”, também são um detalhe que merece ser ressaltado.

É um grande trabalho que foi executado, muitas mulheres foram atingidas e pediram ajuda para afastamento dos homens do lar. Isso foi cumprido e nós também tivemos uma grande linha de atuação, no sentido de prender os agressores. Fizemos uma ação massiva em todo o estado, em todas as unidades policiais, nós contabilizamos 779 prisões de homens, autores de violência contra a mulher.

Luciana Novaes, delegada.

Ações educativas

Além do combate à violência contra a mulher, por meio da apuração de denúncias, instauração de inquéritos policiais, realização de atendimentos às vítimas e cumprimento de mandados de prisão, a operação também promoveu ações educativas, como palestras, orientações e cursos.

Ao todo 7,6 mil pessoas foram atingidas por meio de palestras e panfletagens orientativas.

Operação Átria

Átria é o nome da principal estrela da constelação denominada “Triângulo Austral” do hemisfério estelar sul. Tem uma coloração alaranjada e consta na bandeira do Brasil, em alusão à posição de destaque da estrela, a operação objetiva reposicionar a mulher, retirando da condição de vítima e a pondo em evidência.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Ações educativas resultam em mais de 700 prisões por crimes contra mulheres durante março no Paraná

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.