Trio foi preso pela Polícia Civil – Foto: PC/PR

A Polícia Civil, por meio de equipes especializadas do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), realizou uma ação na última sexta-feira (21/09) que culminou na prisão de Tereza Cristina Soares de Almeida, 55 anos, Luciana Bertoti do Vale, 46 anos e David de Oliveira Pompeo, de 37 anos, vulgo “Farol”, em São José dos Pinhais, suspeitos de estarem ligados ao grupo criminoso Primeiro Comando da Capital (PCC) e no arrebatamento de presos ocorrido em Piraquara no 12 de setembro.

Segundo a investigação, equipes do Cope receberam a informação de que um veículo usado pelo grupo ação que culminou na fuga dos presos. Na oficina localizada em São José dos Pinhais, o proprietário informou que o carro estava lá a pedido de Luciana.

Um pote de vidro cheio de “miguelitos” usados para perfurar pneus de veículos” – Foto: PC/PR

“Miguelitos”

“Dentro do carro, um Ford Focus, nossa equipe encontrou fortes indícios de que ele teria sido usado no arrebatamento, entre eles, uma garrafa Pet com gasolina e um pote de vidro cheio de “miguelitos” usados para perfurar pneus de veículos”, esclarece Rodrigo Brown, delegado-titular do Cope.

Com as informações dadas pelo proprietário da oficina, a polícia conseguiu chegar em Luciana, que disse ter sido um pedido de Tereza Cristina, para que ela encontrasse um local para guardar o carro. A polícia então se deslocou no endereço passado por Luciana e lá na residência, encontrou Tereza Cristina e David de Oliveira Pompeo, que tentou fugir pulando o muro da casa, mas foi detido pelos policiais.

“Na residência encontramos mais indícios de que eles estariam ligado ao PCC. Em um dos quartos foram apreendidos 35 munições calibre 9mm e cadernos com diversas anotações, demonstrando inclusive Pompeo como a contabilidade da facção. Além disso, um veículo GW Fox que estava na garagem foi apreendido por não ter comprovação quanto a legalidade de sua procedência”,

Os presos suspeitos foram autuados por posse ilegal de munição e receptação e associação criminosa arma. No último dia 13 de setembro, o Cope já havia prendido quatro pessoas, desta vez em Pinhais, também suspeitos de fazerem a parte financeira do PCC. A polícia continua as investigações para desmantelar o grupo criminoso, bem como as buscas aos fugitivos de Piraquara.