A Polícia Civil do Paraná (PCPR) esclareceu uma tentativa de homicídio duplamente qualificada contra um homem, de 25 anos, ocorrida no dia 28 de março deste ano, no bairro Santa Felicidade, em Curitiba. Um dos homens suspeitos de participar do crime, David Lima, conhecido como “Jhow”, 26 anos, foi preso em cumprimento a mandado de prisão, no município de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba. A prisão foi realizada pela Guarda Municipal.

Foto: Djalma Malaquias/Banda B

 

“Ele estava com mandado de prisão preventiva pela participação do homicídio qualificado, pela emboscada e também pela impossibilidade de defesa do homem. As informações que temos é de que David estava pilotando a moto e o atirador, que estava na garupa, efetuou os disparos contra a vítima”, explicou a delegada Tathiana Guzella, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A motivação, de acordo com a PCPR, seria queima de arquivo. A vítima seria testemunha de um assassinato, ocorrido em 2018, do qual o atirador teria sido autor. ” Como ele seria a única testemunha a depor contra o suspeito, acredita-se que essa seja a razão da tentativa de homicídio por parte do atirador”, disse.

A PCPR teve informações de que um grupo estaria atuando na região de Bateias, região metropolitana de Curitiba, e em Santa Felicidade. O grupo era formado por quatro pessoas maiores de idade e uma adolescente, que é suspeita de ter atraído a vítima para a emboscada ao marcar um encontro com ela pelas redes sociais.

“No local marcado, quando a vítima para a moto na Avenida Manoel Ribas acaba sendo atingida pela dupla, que estava na outra moto. Embora ele tenha ficado no hospital, ele sobreviveu e reconheceu o atirador. O atirador foi preso no mês seguinte, mas foi solto pela justiça. Porém, ele não compareceu aos atos do processo e o juiz decretou novamente a prisão do suspeito, que está foragido”, esclareceu.

Dos quatro envolvidos, apenas David está preso. Dois integrantes foram presos, mas soltos e estão foragidos. O quarto não chegou a ser preso, e também está foragido. “Quanto a adolescente, foi encaminhada a cópia de todo o processo para a delegacia do adolescente, para que ela seja processada e julgada pela Vara da Infância e Juventude”, completou a delegada.