Família aguarda soltura de Weber em frente à Central de Flagrantes (Foto: Flávia Barros – Banda B)

 

A juíza Anne Regina Mendes concedeu, na tarde desta quinta-feira (6), a liberdade provisória para Silvano Rogério Weber, de 35 anos. Ele foi preso em flagrante na madrugada acusado de tortura contra dois suspeitos que teriam invadido a sua casa para roubar uma bicicleta no bairro Hauer, em Curitiba. A decisão judicial homologou o flagrante, mas autorizou a soltura com a justificativa de que Weber não oferece “periculosidade concreta” capaz de justificar a prisão preventiva.

De acordo com a decisão, há indícios suficientes da autoria, “já que as vítimas foram uníssonas ao afirmar que o Sr. Silvano Rogerio Weber, fingindo estar armado, ordenou que elas deitassem no chão e as agrediu com chutes. Outrossim, o policial militar relatou que o flagrado confessou ter surrado as vítimas, feito menção de estar armado e amarrado uma delas com um pedaço de corda, no intuito de detê-las no local, mesmo não tendo certeza de que elas eram, de fato, as pessoas que teriam furtado uma bicicleta de sua residência. A materialidade delitiva, por sua vez, está comprovada pelo auto de prisão em flagrante e pelo boletim de ocorrência”.

Na homologação judicial, Anne Regina Mendes ainda determinou medidas cautelares contra Weber. Por exemplo, ele terá o compromisso de comparecimento a todos os atos do processo; comparecimento mensal em Juízo para informar e justificar suas atividades; e recolhimento domiciliar diário após 20 horas, inclusive nos feriados e finais de semana.

A prisão de Weber e a soltura dos dois suspeitos foi decretada pelo delegado Fábio Machado, da Central de Flagrantes. Pela manhã, a Polícia Civil informou que os indivíduos não permaneceram presos pois não havia qualquer prova em relação a autoria do fato.

Um dos suspeitos, porém, foi preso novamente por uma viatura do Batalhão de Operações Especiais (Bope), por voltar à casa das vítimas no Hauer. Ele disse aos policiais que voltou para buscar as bicicletas que tinham deixado lá no momento em que foram presos. Como estava com algumas escoriações por causa da briga da madrugada, a delegada de plantão decidiu que, antes da nova prisão, ele deveria ir até a um hospital para atendimento.

O caso

Silvano Rogério Weber foi preso acusado de tortura durante a madrugada. A prisão dele revoltou a esposa Poliana Vilela, de 35 anos. À Banda B, ela contou que por volta da 1h30, eles notaram que ladrões haviam entrado no quintal da residência e levado uma bicicleta. O marido e proprietário da casa ficou acordado imaginando que poderiam voltar.

“Uns 20 minutos depois eles voltaram para roubar mais, imaginamos. Logo que entraram, meu marido entrou em luta com eles. Eles brigaram muito e foram pro lado de fora. Ao mesmo tempo, a gente chamou a polícia que conseguiu prender os dois a alguns metros de casa, ainda com meu marido lutando com eles. Daí, pra garantir o Boletim de Ocorrência, meu marido foi no carro dele até a central de Flagrantes. Chegando lá, o delegado prendeu meu marido por tortura e soltou os ladrões. É inacreditável. Que justiça é essa?”, disse a vítima.