Os três homens que trocaram tiros com a Polícia Militar (PM) no bairro Novo Mundo, em Curitiba, estavam foragidos da Justiça. De acordo com a Polícia Civil, pelo menos dois deles são suspeitos de participação na morte do agente penitenciário Edson Cardoso, 57 anos. Marcelo Roberto da Silveira é condenado ainda pelo assassinato do policial federal Edson Martins Matsunaga, em 2010.

Foto: Marcelo Borges – Banda B

De acordo com a delegada Camila Cecconello, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os suspeitos agiam no sentido de se mudar do local e reagiram à abordagem. “Com a reação, dois deles foram atingidos na perna. Dentro do apartamento, encontramos diversos papeis que colaboram na produção de provas para o inquérito que investiga a morte do Edson Cardoso”, relatou.

Com os suspeitos, a polícia apreendeu documentos falsos, balança de precisão, cerca de 1,5 quilo de crack e R$ 5 mil em dinheiro, além de diversas cédulas de notas falsas. Os três possuem antecedentes criminais por organização criminosa, roubo, porte de arma, tráfico e demais crimes relacionados.

O crime

O agente penitenciário Cardoso foi assassinado com um tiro na cabeça, enquanto estava em casa com a esposa e uma das filhas, na rua Rodolfo Teixeira de Souza, na Vila Piratini, no bairro Pinheirinho, em Curitiba.

O crime teria acontecido após Cardoso ter anunciado rodas de carro para vender. O assassino teria chego na residência, se apresentando como interessado no produto e anunciou um assalto antes de atirar.

2010

Já o crime pelo que Silveira foi condenado aconteceu em 2010, dentro de uma casa lotérica do Centro de Curitiba. Na ocasião, o policial Matsunaga teria tentado impedir um assalto quando foi atingido.