Uma policial civil, que já ocupou cargo de escrivã na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) de Curitiba, é alvo de uma denúncia do Ministério Público do Paraná, por meio da 5ª Promotoria de Justiça de Prevenção e Persecução Criminal. A denúncia aponta os delitos de associação criminosa, corrupção passiva e violação de sigilo funcional.

Dedetran
Sede da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), em Curitiba. Foto: Marcelo Borges/Banda B

As investigações apuraram que a policial civil cedeu, mediante recebimento de vantagem indevida, o login e a senha do sistema Sinesp Infoseg, permitindo que terceiros tivessem acesso a informações sigilosas de particulares. A escrivã recebia mensalmente R$ 20.975,00 como uma espécie de “aluguel” e já não integra mais o quadro da Dedetran.

Outros dois indivíduos que faziam parte da associação criminosa também foram denunciados pelo Ministério Público.

A 1ª Vara Criminal de Curitiba recebeu a denúncia e determinou que a policial seja suspensa do exercício da função pública. Ela também foi proibida de acessar os sistemas policiais. Além da condenação pelos crimes denunciados, o MPPR pede que a escrivã perca a função pública.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Policial que teria “alugado” login e senha de acesso a sistema com informações sigilosas é denunciada pelo MPPR

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.