O policial militar acusado de agredir e matar o empresário Rafael Guebur, de 34 anos, foi afastado do cargo por determinação da Justiça nesta segunda-feira (9). O crime aconteceu em junho do ano passado em uma casa noturna localizada no Bairro Alto, em Curitiba.

Rafael Guebur morreu quatro dias após ser agredido. (Foto: Reprodução)

De acordo com o advogado da família da vítima, Ygor Nasser Salmen, a decisão afasta o PM das atividades e exige que ele entregue o armamento e munições que são de patrimônio do estado. “Além disso, o acusado não pode ter nenhum contato com as testemunhas de acusação do processo. A família ficou feliz e emocionada com a notícia, em razão da gravidade dos fatos”, disse ele em entrevista à Banda B.

Na ocasião, Rafael e um amigo decidiram parar na casa noturna para tomar cerveja. “Era final de festa e eles foram fazer a chamada ‘saideira’, de forma despretensiosa. Ambos estavam indefesos e, quando chegaram no local, foram urinar no muro. Infelizmente, naquela noite, eles se depararam com uma pessoa totalmente alterada, que se irritou com a atitude e agrediu os dois de forma covarde”, completou o advogado.

O empresário não resistiu aos ferimentos e morreu quatro dias após as agressões. O amigo dele, que também foi atingido por chutes e socos, foi socorrido ao hospital e sobreviveu. “Foi um caso de morte causada por motivo fútil e que impossibilitou a defesa dos dois. Esse policial estava fora do horário de serviço, fazia bico ali como segurança, com o uso do patrimônio do estado, tudo de forma irregular”, finalizou.

A partir do recebimento da denúncia, a instrução processual terá início e a data da audiência será marcada. O acusado deve ainda apresentar a sua defesa preliminar.

 

Notícia relacionada