Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

Policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba se passaram por compradores de eletrônicos para prender tio e sobrinho, acusados de furtarem uma loja no Centro de Curitiba, na última terça-feira (1º). Com a prisão da dupla, policiais recuperaram cerca de R$ 30 mil em produtos. O tio, de 27 anos, e o sobrinho, um rapaz de 20 anos, foram presos no bairro Santa Cândida e em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

Logo após o furto, o dona da loja alertou aos investigadores que os mesmos produtos furtados estavam sendo vendidos por meio de páginas na internet. O delegado Emanoel David, responsável pela operação, disse que os policiais se passaram por compradores. “A vítima nos contou que os produtos estavam sendo vendidos pela internet, as equipes entraram em contato com o vendedor, conseguimos fazer o contato e descobrimos que ele mesmo participou do furto. Ele chegou a confessar a participação”, descreveu.

Com os suspeitos a especializada apreendeu cinco TVs (32, 49 e 50 polegadas), três videogames, quatro tablets, cinco aparelhos de som, DVD, além de 28 celulares e dois instrumentos musicais entre outros eletrônicos. Uma quantia em dinheiro de R$ 700, um revólver calibre 22 e um simulacro – arma falsa – também foram localizados pela polícia durante a ação policial.

Durante as investigações, a polícia recebeu informações de que os suspeitos estavam vendendo cinco televisões pelo valor de R$ 700 cada. Questionado sobre os produtos, um dos rapazes acabou confessando à polícia que havia furtado as televisões de uma loja de eletrônicos. Ao confessar o crime, o suspeito indicou onde estariam os demais eletrônicos levados da loja.

Seguindo as buscas em uma residência, situada nos fundos de um salão de beleza na Vila Amélia, em Pinhais, os investigadores da DFR acabaram encontrando o restante dos produtos furtados no quarto do homem de 27 anos. O dinheiro, a arma de fogo, bem como o simulacro também foram encontrados no local. “Ele chegou a falar que não morava ali, que aquele lugar era de outra pessoa, tinha ido até lá para fazer uma visita e acabou pegando no sono”, finalizou o delegado Emanoel.

Crime

O furto aconteceu na madrugada do dia 1º deste mês de agosto, em uma loja de eletrônicos situada na rua João Negrão, no Centro de Curitiba, quando a porta do estabelecimento foi arrombada e seus produtos levados.

O jovem de 20 anos responderá pelos crimes de furto qualificado. O suspeito possuí antecedentes criminais por roubo. Já seu tio foi autuado pelos crimes de posse de arma de fogo e receptação. Ele também possuía passagem criminal por porte de arma de fogo. Ambos permanecem à disposição do Poder Judiciário.