Equipes da Polícia Civil do Paraná (PCPR) cumpriram três mandados de busca e apreensão, na manhã desta terça-feira (3), em Curitiba e Campina Grande do Sul, Região Metropolitana de Curitiba, onde drogas sintéticas estariam sendo fabricadas e distribuídas. Uma grande quantidade de drogas foi apreendida, além de insumos químicos e equipamentos utilizados para a fabricação das substâncias. Dois homens, um de 19 anos e outro de 34 anos, foram presos em flagrante.

(Foto: Divulgação/PCPR)

O delegado Rodrigo Brown conta que as investigações se iniciaram depois de uma denúncia e que elas descobriram uma residência no bairro Xaxim que seria usada como ponto de distribuição das drogas e os outros dois endereços na região metropolitana que seriam dedicados à fabricação do material. “Cerca de 2 meses atrás recebemos uma denúncia sobre uma quadrilha que estaria produzindo grandes quantidades de metanfetamina, mais conhecida como ecstasy ou Michael Douglas. No Xaxim, em uma residência de classe média alta, apreendemos uma grande quantidade de drogas prontas para a distribuição. Em Campina Grande do Sul, localizamos dois grandes laboratórios, onde estavam sendo preparadas as substâncias”, disse o delegado.

De acordo com Brown, foram apreendidos milhares de comprimidos de ecstasy, mais de 20kg de MDMA em processo de fabricação, pelo menos dez quilos de maconha, várias outras drogas, insumos químicos e equipamentos como balanças de precisão, plásticos para embalagens, estufas para secagem da droga, formas, máquina de moer, entre outros.

O delegado acredita que os suspeitos são apenas funcionários de um grande esquema de fabricação e distribuição de drogas no Paraná e Santa Catarina. “Pela grande quantidade de drogas apreendidas, o número de materiais, as condições socieconômicas das pessoas presas, percebe-se que são apenas funcionários de um grande traficante responsável pelo investimento em uma grande estrutura de distribuição de drogas aqui em Curitiba, na Região Metropolitana e provavelmente no litoral de Santa Catarina, onde temos muitas festas raves e outras baladas”, afirmou Brown.

Os dois suspeitos presos já tinham passagens pela polícia, um deles por lesão corporal, estelionato, furto qualificado e uso de documento falso, enquanto o outro apresenta registros por receptação. Eles devem responder pelo crime de associação ao tráfico de drogas.