A Polícia Civil prendeu um homem suspeito de participar do assassinato de Juliano Sutil Machado, de 25 anos. Ele estava foragido da Justiça e foi encontrado no estado do Rio Grande do Norte, nesta terça-feira (24). O crime aconteceu na madrugada do dia 16 de dezembro de 2018, após uma festa realizada no bairro Uberaba, em Curitiba.

 

Foto: SESP/Divulgação

 

Durante as investigações, os investigadores identificaram dois suspeitos e um adolescente envolvidos no homicídio. No dia, segundo a Polícia Civil, os suspeitos teriam discutido com a vítima. Em dado momento da noite, eles saíram do local e armaram uma emboscada para Machado. Então, dois dos envolvidos seguraram a vítima, e um terceiro atirou diversas vezes. Machado morreu na hora.

Prisão

De acordo com o delegado Tito Barichello, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o  homem foi preso suspeito de integrar uma quadrilha batizada de “os reis do cangaço” que seria especializada em roubo a bancos, mas também estaria envolvida em diversos homicídios e o tráfico de drogas no estado nordestino. No entanto, ele também já possuía o mandado de prisão preventiva pelo homicídio contra Machado.

“Ele esteve aqui na DHPP como testemunha do caso e afirmou que os autores estariam armados em uma moto de cor escura. No fim, o suspeito afirmou que o garupa teria feito um disparo. O que é uma mentira porque deu a entender que seria um caso relacionado ao tráfico de drogas, o que é uma mentira”, disse Barichello à Banda B explicando que o suspeito cometeu uma contrainformação porque passou uma informação errada para atrapalhar as investigações policiais.

A partir de agora, além do homicídio cometido em 2018, ele também irá responder pelos crimes cometidos no Rio Grande do Norte. Com isto, o caso foi encerrado.