A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prendeu, nesta quarta-feira (9), três pessoas suspeitas de envolvimento na morte do empresário Marcelo Tadeu Amorim, de 42 anos. Foram presos a esposa de Amorim, mandante do crime, um intermediário, que teria ajudado na contratação de um atirador, e o responsável pelos disparos.

Foto da época do crime (Arquivo Banda B)

 

Amorim foi executado em 2016 com três tiros dentro da Casa Changai, um grande comércio de artigos de cama, mesa e banho localizado na Rua Itália, a qual era proprietário. “A linha de investigação é que ela fez isso para ficar com os bens do ex-marido. Além dela, um intermediador, que ajudou na contração do atirador, e o responsável pelos disparos acabaram presos”, descreveu à Banda B a delegada Camila Cecconelo, da DHPP.

Segundo a delegada, detalhes de quanto foi pago para o crime ser cometido não serão passados. “Ainda vamos ouvir os envolvidos para confrontar os depoimentos”, limitou-se a dizer a delegada.

Os suspeitos presos serão encaminhados à DHPP ainda hoje. A ex-mulher foi presa no momento em que chegava de carro na loja que é proprietária.