A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu o inquérito policial que apurou o assassinato de Luiz Gabriel Franco da Rosa, de 20 anos. Ele foi morto com mais de 30 tiros, no dia 8 de abril de 2019. O suspeito, um homem de 27 anos, foi preso em cumprimento de mandado de prisão, na segunda-feira (26), no bairro Capão Raso, em Curitiba.

O crime aconteceu em uma rua, no bairro Santa Cândida.  Para a Banda B, a delegada Tathiana Guzella disse que provas técnicas foram fundamentais para descobrir o autor do crime. “A vítima estava no chão e ao redor foram coletados mais de 30 estojos de projéteis de pistola, analisados e confrontados mais tarde como positivo para a arma do autor, comprovando se tratar da mesma arma. Esse crime foi bastante profissional, eles saíram todos de balaclava, usaram técnicas de difícil identificação, mas mesmo assim a polícia conseguiu encontrá-lo, por meio de análises, testemunhas e provas”, descreveu.

 

DHPP. Foto: Banda B

 

O autor preso nega que tenha praticado o crime. “Ele disse que essa arma apreendida em flagrante não era dele, que ele não sabe de nada, essa é a versão dele. É direito dele trazer qualquer versão”, completou a delegada.

Motivação

Nas investigações, a PCPR apurou que o crime teria sido motivado por uma dívida da vítima com o suspeito, que seria fornecedor de entorpecentes.  “Já está provado nos autos que a vítima devia um determinado valor para esse preso, que já foi autuado algumas vezes por tráfico de drogas, inclusive. Esse valor era proveniente de uma antiga dívida do tráfico de drogas, cerca de R$ 2 mil”, confirmou a delegada. O indivíduo foi indiciado por homicídio qualificado.

Outros envolvidos

A delegada ainda disse que a polícia continua trabalhando no caso, na tentativa de identificar outros envolvidos. “Temos um segundo autor que deu apoio e já estamos investigando as possibilidades de ser alguém próximo a esse autor que foi preso”, finalizou.