Um crime de feminicídio que teve como vítima Joseane Aparecida da Silva, de 44 anos, neste mês, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), foi esclarecido pela Polícia Civil do Paraná (PCPR). O comparsa do suspeito de executar o crime, um jovem de 21 anos, foi preso na tarde de quarta-feira (25), no bairro Boa Vista II, em Campo Magro, também na RMC.

Foto: Banda B

Conforme apurado, o principal suspeito pela morte de Joseane é o ex-companheiro, de 43 anos. Ele foi preso no último dia 17 – um dia após o corpo da vítima ter sido encontrado em um matagal – em razão de um mandado de prisão em aberto por outro feminicídio.

De acordo com a delegada Lucy Santiago, o suspeito já tinha um histórico de ataques a ex-companheiras. “Após investigações, soubemos que esse indivíduo estava foragido e já tinha atentado contra a vida de duas ex-companheiras, inclusive uma delas teria morrido. Descobrimos também que ele seria o suposto autor do crime, mas que não teria agido sozinho e sim na companhia de seu enteado”, afirmou ela.

O enteado seria um rapaz de 21 anos, filho de uma ex-companheira do suposto autor. O jovem confessou o crime na delegacia. Em depoimento, ele disse que ambos teriam premeditado a morte de Joseane, pois o casal tinha muitas desavenças.

O caso

Joseane foi morta a facadas e seu corpo foi encontrado no dia 16 de março deste ano em uma região de mata, no bairro Jardim Ipê, em São José dos Pinhais. Os familiares da vítima suspeitaram que o autor do crime poderia ter sido o companheiro, pois relataram que eles tinham constantes brigas.

Durante a ação a PCPR apreendeu um veículo, supostamente utilizado no crime, e uma blusa jogada em um terreno próximo a residência do casal. Há suspeitas de que o homem de 43 anos teria a usado para limpar o sangue das mãos após o crime.

A dupla segue presa. Se condenados, poderão pegar até 30 anos de prisão.