Por Denise Mello e Bruno Henrique

O  Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce) realiza nesta manhã em Curitiba uma grande operação para combater o desvio de verbas da Câmara Municipal de Curitiba. Cerca de 70 policiais estão recolhendo material em vários endereços, mas o principal alvo são as casas de familiares do ex-presidente da Câmara, o ex-vereador João Claudio Derosso. O desvio, segundo as primeiros informações da polícia, chega a R$ 30 milhões entre 2006 e 2011.

derossoOperação contra família de Derosso segue em segredo de Justiça (Foto: Reprodução)

A operação começou no início da manhã desta quinta-feira (31), com o cumprimento de mandados de busca e apreensão na casa que seria de Derosso, segundo informou o advogado dele, no bairro Xaxim. Lá, os policiais encontraram apenas os pais do ex-vereador. Computadores foram recolhidos, além de vários documentos. A polícia seguiu então para a casa da irmã do ex-presidente da Câmara, no bairro São Lourenço. Uma mulher, que pode ser a irmã do ex-vereador, chegou escoltada pela polícia e abriu a residência. Os policiais estão lá neste momento. Não se sabe se Derosso está no local. Tudo indica que não.

Ao todo, 18 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Curitiba, Londrina e Pinhais. Até o momento três pessoas teriam sido presas por porte ilegal de arma de fogo.

A polícia não dá detalhes da operação em razão da investigação seguir em segredo de justiça.

Investigação

Derosso foi investigado pelo Minsitério Público e também pela Câmara por denúncias de que teria beneficiado a empresa de publicidade Oficina de Notícias, na época, de propriedade da mulher dele, Claudia Queiroz. O contrato fechado com a empresa foi R$ 5,1 milhões, assinado em 2006. Derosso renunciou ao cargo de presidente para não ser cassado.