Uma festa rave clandestina foi interrompida pela Polícia Militar (PM), por volta das 2h da madrugada deste domingo (6), em uma residência na rua Edson Evangelista Duarte, no bairro Águas Claras, Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba. Segundo consta no Boletim de Ocorrência (BO) da PM, a proprietária do local foi encaminhada para a delegacia.

A equipe policial foi acionada para atender uma ocorrência de perturbação de sossego. De acordo com o denunciante, havia cerca de 200 pessoas no evento.

Foto: Pexels

No endereço, a PM confirmou que acontecia uma festa rave. Apenas a dona da residência foi levada à delegacia, onde assinou um termo circunstanciado.

Demais festeiros foram orientados a retornar às suas casas, uma vez que está em vigência o toque de recolher no período de 23 h às 5h da manhã e a proibição de eventos presenciais com grupos de mais de 10 pessoas, segundo o decreto estadual 6294, que restringe ainda outras atividades e serviços.

Os promotores de eventos e os proprietários dos locais que sediarem festas assim correm risco de serem acusados de crime sanitário, por estimular a propagação do coronavírus.

Curitiba

Na noite desta sexta-feira (4), uma festa clandestina com 122 pessoas foi interrompida pela Guarda Municipal (GM) no bairro Hauer, em Curitiba. Os participantes estavam em um salão de festas comercial, localizado na rua Marechal Floriano. A Guarda Municipal identificou o proprietário e registrou Boletim de Ocorrência (BO). A Prefeitura Municipal de Curitiba informou que tomará as medidas administrativas e jurídicas cabíveis para punir o infrator.

Atualmente, está em vigência em Curitiba o decreto municipal 1640, que dispõe sobre medidas restritivas a atividades e serviços para o enfrentamento do avanço do coronavírus. A capital segue em situação de Risco Médio de Alerta – Bandeira Laranja, conforme Protocolo de Responsabilidade Sanitária e Social de Curitiba.

No salão, os 122 participantes presentes na festa clandestina foram orientados a retornar às suas casas.