O Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber), da Polícia Civil, investiga uma ameaça de ataque feita contra o Colégio Estadual Amâncio Moro, que fica localizado no bairro Jardim Social, em Curitiba. Na manhã desta quinta-feira (29), por exemplo, apenas sete alunos haviam comparecido na instituição. Pela tarde, eram cerca de dez estudantes no entorno da escola, mas pelo menos seis deles optaram por ir embora antes mesmo das aulas começarem.

Durante a tarde, apenas quatro alunos foram à aula (Foto: Marcelo Borges – Banda B)

A ameaça foi postada em uma rede social, no começo da tarde desta quarta-feira (28). Como a mensagem rapidamente se espalhou entre os estudantes, a maioria absoluta optou por não comparecer à escola.

Uma das poucas estudantes que compareceu à instituição no período da tarde conversou com a reportagem da Banda B: “A gente fica preocupado, mas ao mesmo tempo dá a impressão de não ser nada grave. Claro que a gente lembra daquelas situações graves que aconteceram, mas preferi vir por achar que tudo está bem”, disse.

Desde o início do ano, o Amâncio Moro recebe também alunos do Colégio Estadual do Paraná. São vinte turmas remanejadas por conta das obras na maior escola da rede estadual.

Governo

Diante da repercussão, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed) informou que a direção do colégio, ao saber da suposta ameaça contra a escola, tomou todas as providências cabíveis em relação ao episódio.

“A Polícia Militar e o Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária (BPEC) foram acionados e estão no local, monitorando a entrada e saída de alunos da instituição. Ainda na manhã desta quinta-feira (29) será registrado Boletim de Ocorrência no Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) para que seja apurada a autoria da mensagem, enviada de forma anônima. As aulas estão mantidas”, explicou a Seed.