A Polícia Civil identificou três pessoas responsáveis por promoverem uma festa clandestina em uma residência no bairro Campo Comprido, em Curitiba. Imagens e vídeos da festa, que aconteceu na última sexta-feira (8) foram divulgadas nas redes sociais (vídeo). O sócio de uma casa noturna é um dos responsáveis, confirma a polícia. Eles poderão responder por três crimes – associação criminosa, infração de medida sanitária preventiva e também apologia ao crime. Uma prisão não está descartada durante as investigações.

 

 

A responsável pela Delegacia de Repressão a Crimes contra a Saúde (Decrisa), a delegada Aline Manzatto, lamentou a participação de empresários do ramo. “Todos os organizadores, as pessoas que estavam lá, pessoas que divulgaram ou elogiaram em redes sociais serão responsabilizadas. Alguns já foram identificados, temos até mesmo empresários envolvidos. Todas as festas que tiverem acontecido, que recebermos denúncia serão identificados e responsabilizados. Se necessário for, cabe, inclusive, prisão. Se houver tentativa de obstruir a investigação, poderemos solicitar um pedido de prisão, sim”, alertou a delegada.

Segundo a delegada, a festa visava lucro com cobrança de entrada. “Foi apurado que havia cobrança para entrar nessa festa. Temos identificadas três pessoas, mas esse número pode aumentar. Não relacionamos estabelecimentos, mas tem a participação de sócios de casas noturnas na festa”, contou Aline.

Assim que as imagens e vídeos viralizaram nas redes sociais, a casa noturna – que tem o sócio entre um dos investigados pela Polícia Civil – soltou uma nota negando qualquer envolvimento: “(…) não possui qualquer vínculo com o ocorrido assim como repudia todo e qualquer tipo de organização festiva e aglomeração de pessoas conforme orientações e determinação da Organização Mundial da Saúde – OMS”, diz a nota enviada à Banda B.

Para a delegada da Decrisa, atitudes como essas colocam em risco todo um sistema de saúde. “São pessoas tão egoístas que não pensam nem nos familiares deles. Vão colocá-los em risco, além disso, vão colocar em risco os profissionais de saúde que possam vir a antedê-los e também colocar em risco o sistema de saúde por meio de leitos. A população toda pode ser afetada por conta de atitudes como essa”, criticou ela.

Denúncias

A Polícia Civil pede que a população fique em alerta sobre a realização de eventos e festas clandestinas. Em caso de denúncia, os moradores podem acionar o telefone de plantão da Polícia Civil, com total anonimato:

  • 0800-6431-121

Notícias relacionadas: