Por Elizangela Jubanski e Djalma Malaquias

Seis homens que fugiram da prisão foram recapturados em uma operação do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) no Centro de Curitiba, na manhã desta terça-feira (14). Além deles, outro foi preso por tráfico de drogas e mais quatro aguardam identificação oficial para serem liberados ou não. Todos estavam dentro de um prédio na rua São Francisco, conhecido por abrigar pessoas que cometem roubos e furtos na região.

A operação pretende fiscalizar e vistoriar hotéis e pensões na região central, alvos de denúncia de comerciantes e moradores. O delegado-titular do Cope, Rodrigo Brown, afirmou à Banda B que, entre os detidos, estava um homicida, que praticou um crime nos últimos dias no bairro São Francisco.

“Descobrimos que aqui seria um mocó, inicialmente parece ser um hotel, um pensionato, mas na verdade isso é totalmente irregular, não existe nenhum tipo de cadastro, de registro de CNPJ, pessoa jurídica, estabelecimento comercial, nada. Isso é uma invasão, onde os foragidos que escapam de cadeias e delegacias acabam vindo para cá para se esconder. Aqui servia de base, de QG, para que planejassem mais crimes. Tem até um homicida, envolvido em um crime próximo daqui”, descreveu.

Junto com os detidos, a polícia apreendeu drogas (crack e cocaína), munições, pente de pistola, documentos falsos, entre outros. Adolescentes que estavam no local foram encaminhados a delegacia especializada. Cerca de 40 policiais civis participam da operação, com dez viaturas do Cope e dois delegados. A operação contou também com o auxílio da Guarda Municipal. “Eles deram uma contribuição muito grande para a operação, ajudando a identificar foragidos, uma vez que eles monitoram essa região central com mais regularidade e conhecem as figuras carimbadas”, disse Brown à Banda B.

Ainda, policiais tentam identificar, até o fim da operação, o dono do local, que seria um homem que vai até o prédio em dias alternados. “Não tem portaria, não tem controle, parece que existe um responsável por cada andar, mas essa pessoa não está identificada ainda, estamos trabalhando nisso, pois será preso, uma vez que ele oferece guarita a tantos foragidos e permitir o tráfico de drogas no local”, finalizou.