A Polícia Civil de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, informou nesta segunda-feira (5), que está muito perto de apontar os autores do latrocínio do biólogo Guilherme Neves de Almeida, 33 anos, que ocorreu no dia 23 de junho. Segundo o delegado Michel Carvalho, a investigação é complicada, mas o caso vem sendo tratado como prioridade.

“O que posso dizer é que temos uma forte linha de investigação e os nomes dos suspeitos deste crime. As informações ainda são sigilosas, mas muito em breve vamos materializar  autoria e daí sim conseguir mandados de busca e prisão. Estamos nos dedicando diariamente a este caso de latrocínio e logo daremos uma resposta à sociedade”, disse o delegado.

Guilherme morreu na tentativa de assalto – Foto: Reprodução redes

Guilherme foi morto com um disparo de arma de fogo na cabeça ao tentar fugir de um assalto, após uma festa no bairro Afonso Pena. Ele chegou a ser internado no Hospital Evangélico, mas teve morte cerebral. A polícia já tem imagens de câmeras de segurança da região e também faz um levantamento técnico com a Criminalística.

Pelo menos dois suspeitos estão sendo procurados pela polícia acusados de tentar roubar o carro do biólogo, um Honda Civic. As imagens de câmeras de segurança mostram o momento da abordagem da dupla, a reação do motorista em engatar a ré e ainda a colisão com outros carros estacionados, quando ele já estava baleado.

O crime

Guilherme saiu de uma festa na madrugada de domingo, 23 de junho, por volta da 1h30, e ficou aguardando a namorada dentro do carro – já com as luzes acessas – na rua Altevir de Lara. Dois suspeitos viram que havia um motorista dentro do carro parado e fizeram a abordagem. Para tentar fugir, o biólogo engatou a ré e acelerou. Um dos suspeitos atirou e atingiu a cabeça do rapaz, que perdeu o controle do carro, batendo contra outros estacionados e em uma árvore na calçada.

Os dois suspeitos fugiram a pé, sem levar nada.