(Foto: Reprodução Facebook)

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) avança nas investigações da morte do vice-cônsul do Grêmio, Gustavo Pavanatto, que é bacharel em Direito. O crime aconteceu no último dia 31, quando ele deixava um bar na Rua João Bettega, no bairro Portão, em Curitiba, após a derrota do Grêmio para o River Plate pela semi-final da Copa Libertadores.

Em entrevista à Banda B, na manhã desta sexta-feira (9), o delegado Omar Feijo, da DHPP, falou sobre o caso. “Descartamos motivações ligadas a briga de torcidas e está mais para uma desavença pessoal da vítima com o assassino, que pode ser até mesmo uma motivação passional. Quem esperava do lado de fora do bar foi direto a vítima, atirou e fugiu”, descreveu.

Pavanatto foi pagar um guardador de carros quando um homem, com uma blusa camuflada, disparou cinco vezes contra ele. Em seguida, o atirador saiu em um Peugeot branco e não foi localizado. “Quem tiver informações pode entrar em contato com a DHPP, porque qualquer informação é muito importante”, concluiu.

Informações sobre o caso podem ser passadas à DHPP no telefone: 0800-6431-121.