Região da CIC está sob operação policial nesta manhã (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Policiais militares do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) fazem um cerco na região da Estrada Velha do Barigui, na Vila Corbélia, Cidade Industrial de Curitiba (CIC), desde o assassinato do policial militar Erick Norio, do 23° Batalhão. Na madrugada desta sexta-feira (7), Norio foi morto com dois tiros após atender uma reclamação de perturbação de sossego na região. Cinco ocupações estão no momento sob operação policial.

O que chama a atenção no caso é que não havia nenhuma casa com som alto no local, o que levanta a possibilidade de uma emboscada. “O soldado Norio seguiu para o local com seu parceiro de trabalho para atender este caso de pertubação do sossego, o que é bem comum, principalmente na CIC. Por volta da meia-noite, eles chegaram ao local e não notaram nenhuma casa com som alto, mas viram uma moto abandonada. Enquanto um dos policiais levantava as informações no sistema, o soldado Norio desceu para verificar o local. Foi neste momento que uma pessoa, escondida atrás de um carrinho de reciclável, efetuou dois disparos que acertaram o soldado”, contou à Banda B o capitão Araújo, comandante da 3ª Cia, do 23º Batalhão da PM.

Operação do Bope

Bope realiza operações na região

Após o crime, imediatamente o Bope realiza um cerco contra cinco invasões, que não tem prazo para terminar. O coronel Hudson Teixeira disse que o suspeito de cometer o crime foi identificado e que não teria saído da região. “Desde o fim da madrugada começamos este cerco para tentar prender o suspeito ou suspeitos de participação na morte do policial. Estamos sendo informados pela inteligência da Polícia Militar e também da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Acreditamos que ele ainda está aqui”, descreveu à Banda B.

Segundo o coronel, a região em que o crime aconteceu não é uma das mais violentas da cidade. “Uma área de invasão, limite de Curitiba com a região metropolitana. É uma área que foge da normalidade, mas em comparação a outras regiões, não é tão violenta. Agora, acreditamos que o suspeito está nos matagais ou em alguma casa, tendo rendido uma família”, disse.

Liberado em audiência

Armas que teriam sido localizadas com o suspeito de matar o policial, que ainda não teve o nome divulgado (Foto: Reprodução)

A Banda B apurou que o suspeito de cometer o crime havia sido preso recentemente com uma pistola roubada da Polícia Militar e já estava em liberdade. Ele teria sido solto após uma audiência de custódia. São informações que recebemos e no momento não queremos entrar em detalhes, mas isso é verídico”, limitou-se a dizer o coronel Hudson.

Fatal

(Foto: Reprodução)

O soldado Norio foi atingido com um tiro no colete balístico e outro do pescoço, que acabou sendo fatal. O parceiro dele, assim que viu o amigo ferido, o colocou na viatura e seguiu até a UPA Barigui. “Houve parada cardíaca e os médicos tentaram reanimá-lo por cerca de 40 minutos, mas sem sucesso. A Policia Militar do Paraná está de luto hoje”, lamentou o capitão Araújo.

Erick Norio  estava há 5 anos na Polícia Militar do Paraná, integrando o 23° Batalhão. Ele deixou esposa e um filho de 4 anos.