(Foto: Flávia Barros – Banda B)

Em entrevista coletiva, no início da tarde deste sábado (8), o comando da Polícia Militar (PM) afirmou que o incêndio que começou no fim da noite de sexta-feira (7) na Invasão 29, na Vila Corbélia, Cidade Industrial de Curitiba, foi causado pelo crime organizado. De acordo com os policiais, houve uma retaliação ao fato de alguns moradores terem cooperado com os policiais, que fizeram uma operação no local após a morte do soldado Erick Norio, do 23° Batalhão da Polícia Militar (23°BPM), na madrugada anterior.

Combates as chamas na Vila Corbélia (Fotos: Daniela Sevieri – Banda B)

De acordo com o coronel Péricles, comandante do 1° CRPM, há evidências da participação do crime organizado na morte do policial e no incêndio. “Por volta das 22h25, uma viatura nossa foi atender a um motorista do Uber, na região da invasão, que levou tiros no pescoço durante um assalto. Ele foi cercado por oito pessoas e baleado. Neste momento, nossa viatura no local percebeu uma casa em chamas. Em seguida, outros focos foram verificados. Nós estávamos lá garantindo a segurança física das pessoas. Aconteceu uma retaliação do crime organizado. porque a comunidade nos levou até a autoria do homicídio. As pessoas que não fazem parte do crime foram vítimas disto. Este é o cenário que nos é apresentado”, descreveu.

Segundo o tenente-coronel Nilvado, comandante do 23° BPM, toda a operação policial na sexta-feira foi dentro da legalidade. “Abordagens foram feitas durante o dia, dentro da normalidade. Recebemos informações sobre uma possível autoria dos disparos contra o policial. Na madrugada de hoje, foi possível chegar a um suspeito. Todo efetivo policial militar, fardado ou não, era totalmente identificado e coordenado. Não houve qualquer ação isolada que possa ser alvo de questionamento”, garantiu.

O coronel Antonio Zanatta Neto, chefe do Estado Maior da Polícia Militar, afirmou que a corporação rechaça boatos de que o incêndio tenha sido causado por policiais militares. “Todos os policiais estavam identificados, inclusive os não fardados. Quem coloca a culpa nos policiais, certamente são pessoas envolvidas no crime, jogando a conta dos fatos contra a polícia. Nós não admitimos isso. Que tiver informações, denúncias, procure a nossa corregedoria”, disse.

Incêndio

O incêndio que começou no fim da noite desta sexta-feira (7) destruiu a Invasão 29, que fica na Estrada Velha do Barigui, na Vila Corbélia, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). Mais de 300 casas foram destruídas e famílias perderam tudo. Não houve vítimas fatais, mas há cerca de 80 pessoas desabrigadas.

Crime

O soldado Norio foi atingido com um tiro no colete balístico e outro do pescoço, que acabou sendo fatal. O parceiro dele, assim que viu o amigo ferido, o colocou na viatura e seguiu até a UPA Barigui.

Erick Norio  estava há 5 anos na Polícia Militar do Paraná, integrando o 23° Batalhão. Ele deixou esposa e um filho de 4 anos.