O pedreiro que ateou fogo na casa da família negou, nesta segunda-feira (27), que tenha tentado incendiar a ex-mulher e os dois filhos no bairro Boqueirão, em Curitiba. Em depoimento, Waldevir Ferreira dos Santos, 55 anos, afirmou que jogou gasolina apenas sobre si, com objetivo de chamar a atenção da ex e evitar a separação do casal.

(Foto: Marcelo Borges/Banda B)

“Eu estava disposto a me suicidar, mas achei que ela teria compaixão assim que eu jogasse o galão em cima de mim, então não iria separar. Tanto que ela abriu a porta e saiu”, disse Ferreira.

O incêndio aconteceu no início da noite da última quarta-feira (22), na Rua Carlos de Laet. Ferreira teria fugido do local em um veículo Celta, mas se apresentou à polícia na noite deste domingo (26).

De acordo com o advogado responsável pela defesa, José Igor Ogar, Ferreira foi “injustamente” acusado de homicídio. “Isso tanto não aconteceu que, quando ele coloca o combustível para chamar a atenção, estava sozinho na casa”, afirmou.

No dia do incêndio, o tenente Fogaça, do Corpo de Bombeiros, comentou à Banda B que o homem já tinha um histórico de ameaças à ex-mulher, que não ficou ferida com o incidente. “A menina de 9 anos teve parte dos tornozelos e uma das mãos queimadas, mas ferimentos leves, sem risco de morte”, afirmou o tenente.

Um áudio, porém, pode contrariar a versão de Ferreira, já que mostra ameaças dele contra a ex. As mensagens estão com a Delegacia da Mulher e um mandado de prisão contra ele já foi expedido.

A Banda B entrou em contato com a Polícia Civil, que informou que segue investigando o caso. “O suspeito foi ouvido na Delegacia da Mulher na manhã de sábado (25/7) e o mandado de prisão foi expedido pela justiça no mesmo dia, no período da noite. No entanto à tarde, ele tentou suicídio e está na UTI, sem previsão de alta”, informou.