O homem, de 40 anos, que morreu esfaqueado após defender um casal de um ataque homofóbico dentro de um ônibus, foi identificado como Oziel Branques dos Santos. O caso aconteceu na noite deste domingo (16), no bairro Alto da Glória, em Curitiba (PR). Os autores do crime, que seriam tio e sobrinho, foram detidos e encaminhados à delegacia.

64613063_103837774235354_724658474297851904_n
Foto: Reprodução

Em publicação em seu perfil no Instagram, Camila Marçal Dias, de 18 anos, um dos alvos das ofensas da dupla de suspeitos, disse que tentou reanimar Oziel após as facadas. Ela é estudante de enfermagem.

“Quando os indivíduos saíram dos ônibus, eu tentei fazer uma pulsação nele pra ele voltar a respirar, porque ele estava sem pulso. Ele até voltou um tempo, mas depois parou de novo, porque ele estava perdendo muito sangue”, disse Camila.

O crime aconteceu no interior de um ônibus biarticulado da linha Santa Cândida/Capão Raso, em um trecho da Avenida João Gualberto. Os suspeitos teriam perseguido o casal antes do ataque. O passageiro se envolveu em uma discussão com eles e foi esfaqueado.

Após o crime, os criminosos fugiram em direção à região central da capital paranaense, mas foram presos por policiais das Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone). De acordo com a Polícia Militar, um dos autores era monitorado por tornozeleira eletrônica, enquanto o segundo suspeito é menor de idade (17 anos) e foi encaminhado à Delegacia do Adolescente.

Os dois seguem detidos e o procedimento foi concluído e encaminhado ao Ministério Público, segundo a Polícia Civil.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Passageiro que morreu ao defender casal de ataque homofóbico é identificado; alvo das ofensas tentou reanimá-lo

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.