Quem conhece os cachorros da raça Pastor Alemão sabe que eles são especialistas em proteger os donos de perigos eminentes. É o caso da cadela Loba, que tem uma tutora dona de um pet shop no bairro Mercês, em Curitiba, que foi alvo de um assalto à mão armada no início da manhã desta quarta-feira (16). A Banda B teve acesso as câmeras de segurança (veja abaixo) que mostram a entrada do casal para realizar o assalto, e conversou com a vítima nesta quinta-feira (17). Ela revelou a reportagem que, por medo, não ordenou o ataque da cachorra à dupla para evitar que o pet fosse baleado.

 

Momento que o homem saca a arma para realizar o assalto. Foto: Reprodução

 

O assalto aconteceu por volta das 7h. No vídeo é possível ver o momento que a dona do estabelecimento está atendendo um cliente. No local, além dos dois, também está Loba e a cachorra Diana, da raça Golden, deitada no chão. Em determinado momento, enquanto a mulher atendia o senhor, o casal entrou e o homem perguntou se ela vendia peixes. Ao receber a negativa, ele deu a voz de assalto.

“O assaltante pediu ao senhor que ele ficasse do lado, creio eu porque ele estava muito assustado. Nisto, o homem armado pegou meu celular do carregador e a mulher me abordou na cintura, como se tivesse uma arma. Eu acredito que não era, mas ela pediu para retirar o dinheiro do caixa. Então, eu fiquei estática”, iniciou a dona do estabelecimento à Banda B.

 

A cachorra Loba. Foto: Arquivo Pessoal

 

Ainda, outros dois funcionários estavam na loja. Ambos, porém, não presenciaram o assalto porque estavam na parte superior do pet shop. A dona conta que depois da fuga do casal, foi conversar com os colaboradores para descobrir para onde eles foram. “Eles saíram correndo e desceram a rua. Na quadra abaixo do pet, eles entram em um Peugeot SW. No veículo havia uma terceira pessoa que já estava esperando”, revelou.

Proteção

Ciente de que um dos assaltantes estava armado, a dona do pet shop explicou que não pediu a cachorra para atacar o casal. “Se a gente manda, ela ataca porque é treinada para fazer isto. Eu realmente tive medo dele atirar nela. Fora que a Loba tinha saído do local, no fim, nem percebeu que estava em perigo”, contou a mulher explicando que o casal estava agitado no momento do ataque. “Eles estavam eufóricos. Falaram para ficarmos quietos, senão eles atirariam em nós. ‘Vamos meter pipoco em vocês'”, completou.

Ambas as cachorras são do pai da vítima do assalto. A dona do pet shop explicou que ficou com elas após a morte dele, assassinado em agosto do ano passado. “A Diana só pensa em comer e dormir, nem levantou na hora. A Loba é super educada. No fim, preferi perder os bens materiais do que as minhas cachorras”, explicou.

Suspeita

Após o assalto, a polícia foi até o local para fazer o boletim de ocorrência (BO). Segundo a entrevistada, durante a realização do BO, os policiais receberam via rádio uma chamada. O comunicado avisava sobre um assalto a uma panificadora nas imediações. “Aparentemente, eles assaltaram este outro comércio. Saíram do pet e foram para este local”, comentou.

A Polícia Civil investiga os casos.

Vídeo