Um mecânico de aproximadamente 30 anos passou por momentos de terror em Curitiba. Ele foi assaltado e permaneceu por 24 horas no mesmo local, pedindo por ajuda, até quando uma testemunha que passava pela região da Estrada do Zoológico, no bairro Alto Boqueirão, percebeu e conseguiu contato com a Polícia Militar (PM). O homem foi resgatado na noite desta terça-feira e encaminhado ao Hospital Cajuru.

(Foto: Street View)

 

O terror para o mecânico e a família, inclusive a esposa grávida, começou na noite de segunda-feira (12). Ele entregou o carro para uma cliente e ficou sem bateria no celular, região do bairro Sítio Cercado. Sem a possibilidade de chamar um Uber, o que parecia ser uma ajuda providencial, na verdade era o perigo. Um jovem o abordou e afirmou que esperava um carro de aplicativo e que eles poderiam dividir a corrida. O carro chegou e o rapaz, ao lado do motorista que era comparsa, deu voz de assalto.

O trabalhador foi levado para um banhado na Estrada do Zoológico e permaneceu com mãos e pés amarrados por arame farpado. Na noite de terça-feira (13), aí sim uma ajuda providencial apareceu. “Eu estava retornando para a Vila Osternack, no Sítio Cercado, e percebi este rapaz acenando com a mão. Fiquei com medo de parar ali e fui embora. Mas fiquei ‘encucado’ e, no caminho, achei uma viatura e falei sobre o que vi”, contou a testemunha, fundamental para salvar a vida do trabalhador.

Os policiais militares usaram lanternas para entrar no matagal e localizaram o rapaz. Desidratado, ele contou o que aconteceu. “Falou que foi jogado no mato pelos assaltantes, após entregar um carro para um cliente. Ele ficou ali sob a mira de um revólver, enquanto outro assaltante pegou cartões e as senhas dele e foi nos bancos sacar dinheiro”, explicou.

O mecânico foi encaminhado ao hospital para ser melhor avaliado. A Polícia Civil investiga o caso.