Daniel esteve no aniversário de 17 anos de Allana (Reprodução)

 

No segundo dia da audiência de instrução no processo sobre a morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, de 24 anos, o pai de Cristiana Brittes e avô de Allana foi ouvido em depoimento. Ele afirmou que a filha e a neta são inocentes e ainda afirmou que Allana é ‘uma princesa’. Nesta terça-feira, é o segundo dia em que testemunhas de defesa são ouvidos no Fórum de São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

Durante o depoimento, o pai de Cristiana pediu perdão a mãe de Daniel pelo ocorrido, mas disse “Minha filha foi vítima”, ao falar sobre o fato de Daniel ter sido flagrado na cama de Cristiana, enquanto ela dormia. Daniel estava de cueca e trocou mensagens com amigos dizendo que havia “comido” Cristiana, enquanto enviava fotos ao lado da mulher desacordada.

Sobre atitudes de Alana após o crime contra o jogador, como ter ligado à mãe de Daniel afirmando não saber do paradeiro dele, o avô acredita que ela fez isso para proteger o pai, Edison Brittes Junior, que está preso pelo assassinato. Ainda no depoimento, o homem disse que, pelo o que conhece de Cristiana, ela jamais teria incentivado o crime.

Testemunhas

São 77 nomes de testemunhas entre acusação e defesa. Só a família Brittes tem 48 nomes arrolados entre familiares, amigos próximos e pessoas que de alguma forma foram envolvidas no caso durante o andamento do processo.

Edison Brittes Júnior, Cristiana Brittes, David Vollero, Ygor King e Eduardo Henrique respondem ao crime por homicídio qualificado. Já Allana Brittes e Evellyn Perusso respondem por outros crimes relacionados, como coação de testemunhas e fraude processual.

O caso

Daniel Correa foi morto no início da manhã de 27 de outubro do ano passado após participar da festa de aniversário de 18 anos de Allana em uma boate de Curitiba. Depois da comemoração, alguns convidados seguiram para a casa da garota, incluindo Daniel, em São José dos Pinhais.

Na residência, o pai da menina, Edison, iniciou uma sessão de espancamento contra Daniel após ter visto o jogador em seu quarto, onde sua mulher Cristiana Brittes dormia. O atleta apanhou de vários homens até ser levado de carro por Edison, David Vollero, Eduardo Henrique da Silva e Ygor King até uma estrada.