Da Polícia Civil 

(Fotos: Flávia Barros – Banda B)

Uma quadrilha especializada em tráfico de drogas sintéticas foi presa nesta quinta-feira (8) durante a “Operação Love” deflagrada pela Divisão de Narcóticos (Denarc) de Curitiba. Sete foram detidos e com eles apreendidos mais de R$ 1 milhão em drogas sintéticas. Os policiais encontraram 17 mil pontos de LSD e outros 6 mil comprimidos de ecstasy, além de cinco quilos de maconha.

Esta organização criminosa atuava principalmente nos estados do Paraná e em Santa Catarina e o foco era a venda em festas eletrônicas principalmente em Curitiba e na cidade de Balneário Camboriú. Foram cumpridos 20 mandados durante a operação: sete de prisão, sendo dois na cidade de Itajaí e cinco na capital paranaense, 10 de busca e apreensão e três de condução coercitiva, quando o investigado é levado para prestar depoimento na delegacia.

Durante a investigação, que foi iniciada há cerca de seis meses, foram identificados os integrantes do núcleo paranaense e catarinense da quadrilha. Em Santa Catarina, o bando era liderado por Lucas Goudinho e Gonçalves, de 26 anos, e Luiz Antônio de Souza Filgueiras, de 47.

No Paraná, a quadrilha era liderada por Pedro Henrique Hohmann dos Santos, 22 anos, que distribuía a droga sintética, vinda de Santa Catarina, para pequenos traficantes. Estes, por sua vez, atuavam na pulverização do entorpecente, vendendo em festas eletrônicas realizadas, principalmente em Curitiba e região.

Os policiais encontraram mais de 3,6 mil pontos de LSD numa loja de Hohmann no bairro Portão. A droga estava escondida num armário do banheiro do estabelecimento. No armário da casa dele, foram encontrados mais pontos de LSD, assim como na residência da namorada, onde ele foi preso. A polícia suspeita que esta loja faça parte de um esquema de lavagem de dinheiro e que os sócios sejam Goudinho e Hohmann.

Além de Hohmann, foram detidos na capital Luis Gustavo Canuto Ferreira da Silva, de 21 anos, Marcos Cesa Paula Faria Junior, de 22, Rony Rodrigues de Loiola, 24. Na casa de Loiola, os policiais, com o apoio dos cães do Canil da Denarc, apreenderam os cinco quilos de maconha que estavam escondidos numa escrivaninha.

Rodrigo Carmelengo Somma, de 25 anos, foi preso em janeiro deste ano pela equipe da Denarc, mas teve um novo mandado de prisão expedido. Depois da prisão dele, os policiais conseguiram mapear toda a quadrilha que acabou desmantelada na operação desta quinta.

De acordo com o delegado Rodrigo Souza, que comandou a operação, “os elementos de prova produzidos nesses seis meses de investigação, nos permitem afirmar que estamos diante de um dos núcleos de tráfico de drogas sintéticas com atuação mais ativa em Curitiba”.

A ação policial, que contou com 35 policiais civis da Denarc e outros 15 da DIC, além do apoio do Canil da Denarc, foi batizada como “Love” em razão das supostas propriedades estimulantes atribuídas às drogas sintéticas.

Os presos responderão pelos crimes de organização criminosa, associação para o tráfico, tráfico de drogas e alguns deles por lavagem de dinheiro. Se condenados, as penas somadas ultrapassam 30 anos.