Uma operação do Batalhão de Polícia Ambiental, em conjunto com o Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente (Gaema), do Ministério Público do Paraná (MP-PR), apreendeu 221 pássaros silvestres na manhã desta terça-feira (23). De acordo com a Polícia Militar, a operação é resultado de uma investigação que já dura um ano. Ao todo, 14 pessoas acabaram presas durante a ação.

De acordo com o capitão Fabiano Gevert, da Polícia Ambiental, a operação foi deflagrada em Curitiba e seis cidades da região metropolitana. “Além das prisões e apreensões de aves, encontramos um vasto material de gaiolas, de captura e de caixas usadas para o transporte. O MP-PR nos deu todo o suporte e vamos verificar a possibilidade de restituir esses animais para a natureza”, descreveu.

Entre as aves apreendidas, estão animais da espécie trinca-ferro, curió, canário-da-terra, e azulão. “No caso do azulão, foram poucas apreensões. Em conversa informal com um dos criminosos, ele admitiu que a diminuição se dá pelo fato dele estar sumindo da natureza, o que o torna difícil de encontrar”, concluiu Gevert.

Além da capital, as prisões foram realizadas Almirante Tamandaré, Campo Largo, Fazenda Rio Grande, Piraquara, Colombo e Cerro Azul. Dentre os 14 presos, cinco foram detidos em flagrante. Sessenta policiais militares participaram da ação, com uso de 25 viaturas.

Os presos agora passam a responder processo criminal e podem ser multados administrativamente, com valores que variam de R$ 500 a R$ 5 mil por espécie.