Selfie feita por Daniel ao lado de Cristiana, pouco antes dele ser morto (Foto: Reprodução WhatsApp)

Um assassinato brutal e várias dúvidas sobre o que de fato aconteceu naquela manhã de sábado, 27 de outubro, no bairro Guatupê, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. O jogador Daniel Correa Freitas, de 24 anos, foi morto a facadas por Edison Brittes Júnior, de 38, com sinais de tortura. Na residência estavam amigos, a filha do autor, Allana Brittes, de 18 anos, e esposa dele, Cristiana Brittes, de 35.

Daniel era jogador do São Bento de Sorocaba e, como não havia sido relacionado para a partida contra o CRB, acabou vindo a Curitiba para participar da festa de Allana, assim como aconteceu no ano passado, quando ainda jogava no Coritiba. O ‘after’ na casa do empresário acontecia normalmente, após a balada que aconteceu em um bar no bairro Batel, em comemoração aos 18 anos de Allana. Em determinado momento, o atleta sumiu da festa e foi até o quarto de Cristiana. A partir daí, surgem as dúvidas do que de fato aconteceu.

O que aconteceu nos 15 minutos?

Em mensagem a amigo, Daniel afirmou ter mantido relações com Cristiana

Às 8h19 de sábado, Daniel conversava com um amigo pelo WhatsApp e avisava que tentaria se relacionar com a mãe da aniversariante e que o marido dela estava na residência. Ele envia uma foto a um amigo e não manda mais mensagens. 15 minutos depois, às 8h34, Daniel novamente encaminha uma imagem na cama com Cris, desta vez afirmando que manteve relação com ela. Nas duas fotos, a mulher aparenta dormir profundamente, sem saber que o jogador tirava a selfie.

Possibilidade 1: Uma possibilidade a ser investigada pela polícia é de que, nestes 15 minutos, Daniel tenha mantido relação consensual com Cris, o que é negado pelos suspeitos de cometerem o crime. Foi isso que o jogador disse para amigos, pouco antes de ser assassinado.

Possibilidade 2: O delegado de São José dos Pinhais, Amadeu Trevisan, não descarta que o jogador tenha simplesmente tirado as fotos para se ‘gabar’ com amigos. Ele inclusive tinha um grupo de WhatsApp em que compartilhava as fotos das mulheres com quem dormia. Segundo o delegado, o jogador demonstrava imaturidade. Entretanto, resta saber o que ele fez dentro do quarto neste período de 15 minutos.

Possibilidade 3: Não se descarta que alguém tenha tirado o celular de Daniel e enviado esta segunda foto ao amigo, para criar uma situação para o crime. Nesta hipótese, o suspeito de cometer o assassinato, Edson Brittes, teria entrado no quarto logo após a primeira fotografia, enviada às 8h19. Vale lembrar que o empresário afirma ter encontrado Daniel em cima da mulher, entretanto a imagem após uma possível relação teria sido enviada antes do suposto flagrante.

Possibilidade 4: A versão da defesa de Brittes afirma que o empresário estava do lado de fora da residência, quando ouviu a esposa gritar. Imediatamente, ele foi até o quarto e arrombou a porta, flagrando Daniel supostamente tentando estuprar  Cris. Por conta disso, Edson passou a espancar o jogador. Neste caso, ainda resta saber o que aconteceu neste intervalo de 15 minutos. Não descartando também algum problema de sinal de telefonia, fazendo com que a mensagem fosse enviada com atraso.

Daniel era muito amigo de Allana?

Daniel esteve também no aniversário de 17 anos de Allana (Foto: Reprodução)

Versão 1: Em depoimento após o crime, Allana disse que Daniel não foi convidado para o after na casa da família Brittes e que o conhecia há menos de um ano. Em vídeo gravado pela defesa, ela demonstra não ter uma relação muito profunda com Daniel e diz nunca ter se relacionado com o jogador.

Versão 2: Entretanto, na rede social Facebook, a própria Allana postou foto do aniversário de 17 anos com Daniel. Além disso, em conversa com parentes do jogador, ela se mostra amiga próxima e ciente de que o ele havia ido a sua residência. Outro ponto que chama a atenção é que Daniel seguia Allana e também a mãe dela, Cristiana, no Instagram. Com isso, defende-se que os dois, Allana e o jogador, tinham sim uma relação próxima.

Edison, ao lado de Cristiana: Empresário ligou para mãe de Daniel desejando pêsames (Foto: Facebook)

Outro ponto: De acordo com o delegado Amadeu Trevisan, da Delegacia de São José dos Pinhais, em áudio enviado a um amigo, o jogador, antes de ser assassinado, teria afirmado ter mantido relações com Allana. Isso não foi confirmado por mais ninguém. Inclusive Allana estava na festa com outra pessoa.

Ligação: Chama a atenção ainda que o próprio Edson, segundo familiares de Daniel, teria ligado a uma parente do jogador desejando pêsames pelo o que aconteceu.

Defesa: A defesa dos Brittes afirma que a forma de agir de Allana, em conversa com a mãe do jogador, se deve a uma defesa ao pai, devido a tudo o que havia acontecido no sábado.

Quem gritou no quarto?

A confusão aconteceu dentro do quarto em que Cristiana dormia e gritos foram ouvidos. O que teria acontecido?

Versão 1: A testemunha que estava na residência confirmou que ouviu gritos no quarto do casal Brittes. De acordo com o delegado Amadeu Trevisan, a testemunha afirmou que os gritos seriam de Daniel, que pedia para não morrer. Ainda, Cristiana e Allana também teriam pedido para as agressões pararem, para que uma tragédia não acontecesse, segundo o depoimento.

Versão 2: Tanto Edson Brites quanto a filha Allana afirmam que a mãe passou a gritar por socorro, porque Daniel estaria tentando cometer o estupro. Por conta disso, os dois foram até o quarto e tiraram ele de cima de Cris, quando começaram as agressões. A versão de Cris para o que aconteceu ainda não foi divulgada.

Defesa afirma que porta foi arrombada por empresário, para salvar a esposa de possível estupro (Foto: Divulgação)

A porta foi arrombada?

Versão 1: A testemunha do crime disse, em depoimento, que ao ouvir a confusão dentro do quarto tentou entrar, mas a porta estava trancada. Portanto, ela não teria sido arrombada. Ela diz ter visto o que aconteceu pela janela do quarto.

Versão 2: Edson Brittes afirmou que o quarto estava trancado com Cris e Daniel dentro. Com isso, ele precisou arrombar a peça para entrar no cômodo, quando começou a agredir o jogador, por tê-lo visto supostamente abusando de Cris.

A Polícia Civil realizou perícia na residência dos Brittes para confrontar as versões.

A Faca e a roupa

Versão 1: A testemunha que procurou a polícia afirma que a faca usada no crime foi tirada da cozinha da residência.

Versão 2: Edson Brittes afirma que a faca estava no carro, onde levaria Daniel para um matagal. Ele disse que não tinha a intenção de cometer o assassinato, mas ao ver as mensagens no celular do jogador, diz ter sido tomado por uma raiva, cometendo o crime em seguida.

Qual roupa? Enquanto em depoimento à RPCTV o empresário afirmou ter tirado a roupa da esposa e colocado o pijama, Cris ainda aparece com a roupa de balada na selfie feita por Daniel.

Quem é Edson Brittes Junior

De acordo com reportagem do Portal UOL, Edson tem passagens pela polícia por receptação de carro roubado e, recentemente, por disparos de arma de fogo de dentro da sua residência. Nas redes sociais, o empresário, que é dono de dois estabelecimentos comerciais, gosta de ostentar com fotos de baladas, sempre ao lado da esposa e filha.

Inclusive, pelo Google Maps, a casa em que o crime aconteceu é cadastrada como um bar chamado ‘Juninho Riqueza House’. Ele e Cristiana são casados há 20 anos e tem outra filha fruto do relacionamento.

Pontos chaves

Depoimento de Cristiana será importante para elucidação do caso

Alguns pontos chaves para se tentar chegar a uma conclusão para o caso deverão ser esclarecidos nesta semana. Embora, de qualquer forma, um vazio ficará, afinal Daniel não poderá contar o que aconteceu.

1- Depoimento da Família Brittes: A Policia Civil deverá colher depoimentos de Edson, Allana e Cris nesta segunda-feira. Com isso, novas informações poderão vir à tona. O depoimento mais esperado é o de Cristiana, que ainda não passou a sua versão para o que aconteceu. Ela poderá esclarecer, segundo a sua versão, se estava ou não sendo vítima de um estupro.

2- Identificação outros suspeitos: Pelo menos mais três homens ajudaram Edson a matar Daniel e ocultar o cadáver. A polícia busca informações sobre eles, para assim apurar mais detalhes do que aconteceu. Com mais versões, é possível se buscar uma conclusão mais cara.

3-Relato de familiares de Daniel: Informações de familiares de Daniel, sobre o passado dele com Allana e Cristiana, poderão vir à tona com o depoimento de familiares do jogador.

Cobertura especial

A Rádio e o Portal Banda B seguem nesta segunda-feira com uma cobertura completa sobre o caso. Fique atentou na FM 107.1, AM550 e no www.bandab.com.br