Da Redação com Polícia Civil

Suspeita de planejar um roubo a residência contra o vizinho, Tatiane Emília Camargo Iovanovitchi, de 35 anos, foi presa em Curitiba. Segundo informações divulgadas pela Polícia Civil nesta segunda-feira (31), ela foi detida em frente a sua residência, no bairro Santa Quitéria. Além dela, cinco pessoas já haviam sido detidas no último dia 17 e agora mais um comparsa foi preso: Hiago Gomes, de 22 anos.

Hiago foi apresentado nesta segunda (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Segundo informações da polícia, o crime aconteceu no dia 29 de dezembro do ano passado. Na época Tatiane era vizinha da vítima e repassou informações privilegiadas referente a quantia de dinheiro que possuía na residência, além de informar o melhor horário que os bandidos poderiam abordá-la.

“Minutos antes da vítima ser abordada pelos bandidos, Tatiana aparece nas imagens de câmera de segurança saindo de sua casa, local em que Gomes entrou e teve acesso ao pátio da residência da vítima”, conta o delegado André Feltes.

Na ocasião, Gomes e uma outra integrante do grupo, identificada como Michelle Cristiane Cordeiro, de 28 anos, renderam a vítima utilizando armas de fogo, entraram na residência e a após a amarrarem, jogaram querosene sobre ela e a ameaçaram a atear fogo caso não indicasse o local em que estavam os objetos de valor, bem como os dólares que ela utilizaria em uma viagem internacional que faria no dia seguinte.

No momento em que Gomes e Michelle estavam dentro da residência da vítima, outros dois membros da quadrilha – presos junto de Michelle, no dia 17 deste mês, após roubarem um carro no município de Campo Magro – aguardavam próximo ao local, para dar apoio na fuga da dupla que executava o crime.

De acordo com Feltes, com a prisão dos últimos envolvidos no crime, foi possível desarticular por completo uma quadrilha perigosa. “Esse grupo agia com bastante violência em suas práticas criminosas”, ressalta o delegado, que também acrescenta que através do trabalho intenso de inteligência da especializada, além de identificar a autora intelectual do roubo, também foi possível constatar que a quadrilha estava se organizado para realizar mais um roubo em um apartamento, localizado no bairro Batel. “O roubo só não aconteceu, por conta de todas essas prisões realizadas por nós”, finaliza.

Os suspeitos responderão por roubo agravado e associação criminosa, se condenados poderão pegar de oito a 16 anos de prisão. Ambos encontram-se detidos no Setor de Carceragem Temporária (Secat) da DFR, onde aguardam à disposição da Justiça.

Notícia Relacionada: