Um anos e nove meses após o assassinato do policial militar Marcos Rodrigues Ferreira, de 40 anos, a esposa Karla Fernanda Menezes e seu amante, Fernando Lemos, foram condenados em Júri Popular que aconteceu nesta quinta-feira (25). A morte de Marcos aconteceu na noite de 26 de julho de 2017, na residência do casal, localizada no bairro Campo do Santana, em Curitiba.

(Foto: Banda B)

Karla foi condenada a 21 anos de prisão e Lemos a 15 anos, em sentença proferida pelo juiz Daniel Avellar. Ambos são réus confessos e já respondiam ao processo na prisão. “Estamos satisfeitos com a sentença. Karla foi condenada a 21 anos e Fernando a 15 anos. Em dez anos atuando no Tribunal do Júri, o juiz Daniel Avelar precisou pontuar a personalidade da acusada Karla, por conta da frieza dela”, descreveu à Banda B o advogado Mauricio Zampieri, assistente de acusação.

Durante o júri, foram ouvidas 17 testemunhas, entre elas 2 delegados e cinco policiais que estiveram nas investigações.

O crime

Para a execução, Karla contou que aproveitou que Marcos estava no banho e ligou para Lemes. Na residência, ela entregou para o amante uma pistola ponto 40 do marido – arma que não é da corporação e sim de sua propriedade – onde o crime aconteceu. Logo em seguida o suspeito teria levado a quantia de R$ 400 em dinheiro e o carro da vítima, um Prisma prata.

Ainda no interrogatório, a esposa disse que foi até o quarto do casal, pois não queria ver o marido ser morto. O policial foi assassinado no momento em que havia saído do banho e estava entrando no quarto. As investigações apuram também que Karla começou a gritar pedindo socorro somente depois que o carro da família foi levado pelo suspeito.