Por Felipe Ribeiro

Foto: Reprodução FacebookFoto: Reprodução Facebook

A morte do policial militar do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Lisandro Lara de Moraes Júnior, aos 28 anos, gerou uma onda de comoção nas redes sociais nesta segunda-feira (18). Por meio de fotos e vídeos, vários amigos demonstraram luto e tentaram homenagear o soldado. Lara era solteiro não tinha filhos. Ele ingressou na Polícia Militar em 02 de julho de 2010 e, desde sua inclusão no Bope, havia passado pelas Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), pela Equipe de Negociação e do Comando de Operações Especiais (COE). Atualmente estava lotado na Companhia de Polícia de Choque.

soldadolara3Reprodução Facebook

Entre as postagens, a palavra “guerreiro” era uma das mais comuns. Outras destacavam a alegria do soldado. “Vou começar com uma pergunta boba. Será que dá pra gente voltar no tempo? Você nos deixou, mas o presente vai ficar guardado. Inacreditável! Foi uma alegria ter você aqui. Obrigada por tudo. Que o céu te receba com festa, guerreiro de fé”, dizia uma das homenagens. “O dia amanheceu mais triste! Ainda não caiu a ficha que você se foi meu parceiro Junior Lara, sei que vai fazer muita falta aqui conosco, mais agora Deus terá mais um estrela para brilhar”, dizia outra.

De acordo com relatos de colegas de corporação, a energia do soldado contaminava a todos em seu redor.

Lara estava internado no Hospital do Trabalhador há 12 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) devido a ferimentos de arma de fogo. Ele foi baleado ao tentar impedir um assalto a um comércio no bairro Fazendinha, em Curitiba. Ele foi atingido por dois disparos de arma de fogo no peito. Um cliente foi ferido durante a troca de tiros e um dos bandidos também. Os suspeitos conseguiram fugir em um veículo.

Luto na PM

Em nota, a Polícia Militar do Paraná lamentou o falecimento do soldado. “Desde sua inclusão na corporação o soldado dedicou-se fielmente ao seu trabalho em prol da tranquilidade e segurança da população paranaense, colocando em risco a própria vida que lhe foi tirada”, afirma o porta-voz do Bope, tenente Rodrigo Kohler Teixeira.

O velório começou às 15 horas na Capela 1 do Cemitério da Água Verde e, em seguida, às 12 horas de terça-feira (19), em um cortejo fúnebre, o corpo do policial militar será levado até o Crematório Berti, onde, às 12h30, ocorrerá a cremação a pedido da família. Ele também receberá todas as honras militares.

“A corporação está de luto por mais esta situação que caracteriza uma tragédia e reforça, no âmbito da Polícia Militar do Paraná, o nosso compromisso com a causa pública da segurança, que tem afetado nossos próprios quadros em relação a estes fatos extremamente tristes”, acrescenta o Comandante da PMPR, coronel Maurício Tortato.

Notícias Relacionadas:

Polícia sabe quem é loira que dirigiu carro de bandidos no dia que policial do Bope foi baleado

Soldado do Bope baleado por bandido no Fazendinha não resiste e morre após 12 dias internado