PM e PC foram acionadas no local. Foto: DS/Banda B

 

Um crime macabro na noite desta terça-feira (10) deixou os moradores do bairro Caximba, em Curitiba, assustados. Um corpo foi encontrado com pernas e braços amarrados em um terreno baldio às margens de uma estrada movimentada da região. A vítima tinha marcas de agressão e aparentava ter cerca de 30 anos. A Polícia Civil investiga.

Um grupo de moradores da região ouviu disparos de arma de fogo, por volta das 18 horas, e logo depois, notou que havia algo na beira da Estrada Delegado Bruno de Almeida. Eles encontraram um homem morto, com indícios de tortura, e acionaram a Polícia Militar. O tenente Jesus, da PM, explicou que um morador da região ligou para 190 e pediu auxílio.

“Os próprios moradores encontraram o corpo, então, chegando aqui a gente acionou a Criminalística, isolamos a área. Ele tem ferimentos pelo corpo e pauladas na cabeça, está com as mãos e pés amarrados por uma fita. Encontramos a carteira, mas não tinha documento oficial”, descreveu o tenente.

A Polícia Civil fez os primeiros levantamentos do local. O delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Osmar Feijó, disse que, em um primeiro momento, nenhum disparo de arma de fogo foi encontrado na vítima. “Moradores aqui da região disseram ter ouvido disparos de arma de fogo e depois encontraram o corpo, que está amarrado com fitas nas pernas. Ainda não achamos sinal de disparo de arma de fogo, então, apenas em exames podemos afirmar se houve agressão ou se foi vítima de disparo”, contou à Banda B.

Entretanto, o delegado acredita que o homem tenha sido morto em outro local. “Não tinha muito sinal de sangue, apenas uma pequena escoriação na face da vítima. Há grande possibilidade de o corpo ter sido desovado aqui por ser um local descampado”, finalizou o delegado.

O corpo do homem foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML), onde deverá passar por exames complementares para identificar a vítima e confirmar a causa da morte. A DHPP investiva o caso e qualquer informação pode ser repassada de forma anônima através do 0800-6431-121.