Moradores e comerciantes do bairro Mercês, em Curitiba, estão em alerta com a soltura de balões. Representante do grupo Mercês Mais Segura, Leonardo Sikorski entrou em contato com a Banda B nesta quinta-feira (3) para fazer uma denúncia, mas também avisar a vizinhança que fique em alerta com o ato, que é considerado um crime ambiental.

Imagens obtidas pela reportagem mostram o momento da queda de um balão perto do Parque Barigui, no fim da noite desta quarta-feira (2). Ainda nesta quarta, o Portal Banda B noticiou que a queda de um enorme balão provocou a interrupção de energia em mais de 17 mil domicílios, incluindo a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Fazendinha, também na capital.

Preocupados com balões, moradores fazem alerta em bairro de Curitiba. Foto: Reprodução/Colaboração Banda B

Segundo Sikorski, o grupo notou que, ao longo dos últimos dois anos, houve um aumento de balões não tripulados passando pelo bairro Mercês. Ele afirmou que a queda do balão perto do Parque Barigui foi no meio de uma rua e trouxe muito transtorno aos moradores.

Nós reparamos que um balão semelhante, com o mesmo desenho, caiu no bairro Fazendinha. (…) A gente vê esta situação com extrema gravidade. Estamos orientando nossos moradores e comerciantes para que, ao perceberem os balões sobrevoando, liguem imediatamente às nossas forças de segurança (Polícia Militar, Guarda Municipal) e permitindo-os que eles façam o monitoramento dos balões. A mesma orientação vale para as quedas [dos balões].

Leonardo Sikorski, membro do grupo Mercês Mais Segura, em entrevista à Banda B.

Sikorski teme que a queda dos balões em comércios e casas e causem tragédias.

Então a gente reforça este pedido. Lembrando que a soltura do balão não tripulado é um crime ambiental. Fica o nosso pedido: vamos tentar combater estes criminosos. Também pedimos aos moradores, comerciantes, que anotem placas de possíveis veículos, que façam resgates de balões que caem nas ruas, somente se possuírem segurança.

Leonardo Sikorski, membro do grupo Mercês Mais Segura, em entrevista à Banda B.

Assista as imagens abaixo:

Soltar balão é crime

A legislação brasileira proíbe a fabricação, venda, transporte e a soltura de balões. A pena para esse crime é de detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente, conforme a Lei de Crimes Ambientais (9.605/98).

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) alerta a população sobre os perigos e o crime de soltar balão, prática ainda comum nas festividades de junho e julho. A legislação brasileira proíbe a fabricação, venda, transporte e a soltura de balões. A manipulação é considerada crime ambiental e a prática pode causar danos irreparáveis a famílias e ao meio ambiente.

Em 2022, a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) instaurou quatro inquéritos policiais para investigar a soltura de balões em Curitiba.

Espaço Banda B – Prefeitura de Curitiba

A reportagem da Banda B procurou o município para obter um posicionamento sobre o que a população deve fazer, caso se depare com a soltura de balões por Curitiba. A matéria será atualizada.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Preocupados com balões, moradores fazem alerta em bairro de Curitiba; vídeo mostra queda perto do Barigui

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.