Um morador de Curitiba tomou um susto após descobrir que alugaram um apartamento em seu nome, nesta quarta-feira (22). O espaço seria usado por traficantes para uma central de distribuição de drogas. Segundo a Polícia Militar (PM), o contrato de locação foi feito em 2021, mas a história veio a público após a seguradora do espaço entrar em contato e cobrar aluguéis da possível vítima deste golpe, que será investigado pela Polícia Civil.

apartamento-possível-central-drogas-1 (1)
Uma equipe da Polícia Militar (PM) foi acionada pela seguradora para atender a ocorrência. Foto: Cristiano Vaz/Banda B

Gustavo Henrique Rezende, advogado que representa a seguradora, explicou à Banda B que uma ordem de reintegração de posse permitiu a descoberta de oito quilos (kg) de drogas, que foram apreendidos no local. Além disso, segundo ele, o estado de higiene do apartamento estava precário.

A seguradora é uma fiadora, que é contratada quando a pessoa não tem condição de pagar o aluguel. Só que houve inadimplência por alguns meses. Então, nós entramos com uma notificação extrajudicial e ela não respondeu. Foi quando entramos com a emissão de posse extrajudiciária, que é o tradicional “despejo”.

Gustavo Henrique Rezende, advogado.

O advogado foi até o apartamento às 15 horas com um chaveiro e um funcionário de um cartório.

Quando entramos havia bastante lixo, sujeira, papelão e papel. Algo que chamou a atenção. Estávamos finalizando o trabalho quando eu tive a curiosidade de chegar mais perto e ver o que tinha ali. Então, me deparei com meio pacote de maconha. Chamei os dois rapazes que estavam comigo, eles constataram. Logo em seguida, liguei para a polícia.

Gustavo Henrique Rezende, advogado.

Polícia Militar (PM) se surpreende com a situação

O cabo Mauro, da PM, também concedeu entrevista e opinou sobre a situação. Ele disse acreditar que o local está abandonado há mais de dois meses. Além das drogas, balanças de precisão e equipamentos de informática também foram apreendidos.

A gente pegou um resquício do que foi um dia, um possível centro de distribuição [de drogas]. O local estava abandonado há mais de dois meses. Pelo o que a gente pode constatar, lá havia muitas embalagens, muitas embalagens vazias.

Mauro, cabo da PM.

O homem que descobriu as cobranças em seu nome foi até a delegacia e registrou um boletim de ocorrência. Mauro detalhou que ele relatou não saber da situação e da locação do apartamento.

Pelo o que a gente puxou, assim que a seguradora entrou em contato da inadimplência, ele já foi até a delegacia e fez um boletim de ocorrência (BO) junto à Polícia Civil, relatando que haviam alugado o imóvel no nome dele e não sabia.

Mauro, cabo da PM.

O material foi apreendido e levado à Central de Flagrantes de Curitiba. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Morador de Curitiba recebe cobrança de aluguel e descobre suposta central de drogas em seu nome

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.