A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu preventivamente um homem, de 54 anos, e uma mulher, de 44, por exploração sexual, na manhã desta quinta-feira (25). Conforme apurado pela PCPR, a suspeita oferecia os filhos, de 9 e 11 anos, para a prática de atos libidinosos ao homem, em troca de dinheiro e bebidas alcoólicas. As prisões aconteceram no bairro Taboão, em Curitiba.

Momento que a equipe da PCPR chegou no local que os suspeitos estavam (Foto: PCPR)

A PCPR tomou conhecimento do fato em fevereiro de 2018, quando o homem de 54 anos estava sendo ameaçado por populares, sob suspeita de estupro de vulnerável. Uma equipe policial se deslocou até o local para apurar o fato e chegou até a residência da mulher, de 44 anos, no bairro Taboão. No local, a dupla estaria ingerindo bebidas alcoólicas na presença das crianças.

As crianças estavam sendo abusadas desde 2016 e segundo o delegado José Barreto de Macedo Junior, da Polícia civil do paraná (PCPR), as investigações começaram após um boletim de ocorrência e também quando foram verificadas denúncias anônimas.

“Ano passado tinha sido feito um boletim de ocorrência. Ouvimos aproximadamente 16 testemunhas. Além disso, verificamos que aqui na própria delegacia tinham algumas denuncias anônimas relatando os fatos. Passamos a investigar e chegamos a conclusão de que o homem estava abusando das crianças. A mãe tinha conhecimento dos fatos e era conivente com essa ação”, explicou o delegado.

Quando questionada, a mulher alegou não ter conhecimento de nada e que o homem era seu amigo. Já sua filha, de 11 anos, informou que o homem já teria passado a mão nela e fazia isso com frequência, além disso, contou que seu irmão, de 8 anos, teria visto o homem a tomar banho.

“Recebemos alguns relatos bem fortes, de abuso tanto na menina, quanto no menino. Inclusive, em um dos abusos, ele teria colocado um pano no rosto dessa menina, e quando ela viu já estava sem roupa e o homem querendo introduzir a genitália nela”, contou Junior.

As crianças informaram ainda que o homem dava dinheiro, bebidas alcoólicas e comida para a mãe delas, e que todas as vezes em que relatavam os abusos que sofriam, a mulher agia de forma agressiva. O homem era morador da região e os moradores já estavam apavorados com a situação. Ainda segundo o delegado, a mulher teria oferecido as crianças para outras pessoas também.

“Várias testemunhas tinham visto esse homem levar as crianças para no matagal próximo para cometer os abusos. Temos a informação, por parte das crianças, que a mãe teria oferecido elas para outras pessoas. Inclusive, uma delas nós conseguimos identificar e ela será alvo das investigações”, esclareceu Junior.

Na delegacia, a dupla negou o fato, entretanto, no final do interrogatório, a mulher confessou que sabia que as crianças teriam sido abusados pelo homem. Ambos responderão por estupro de vulnerável, favorecimento da prostituição e ameaça.

O homem e a mulher encontra-se à disposição da Justiça.

Trauma

As crianças são filhas de pais diferentes e, diante do fato, elas foram encaminhadas ao Conselho Tutelar para a medida de procedimentos cabíveis e em seguida foi concedida guarda provisória à responsáveis. O pai da menina compareceu na delegacia especializada, em maio de 2018, para registrar um novo boletim de ocorrência contra o homem.

O pai da menina relatou que sua filha de 11 anos teria sido abusada sexualmente pelo suspeito, em janeiro de 2018. Ocasião que houve conjunção carnal. Conforme o relato, a garota teria contado para a sua mãe na época, porém ela não tomou nenhuma providência.

“A menina está com o pai, está bem e o menino está com um casal de parentes, em São Paulo. Os dois estão bem, tentando superar o trauma, pois os atos ocorriam desde 2016. Agora vão responder agora perante o juiz”, concluiu o delegado.