Um dos líderes de uma facção criminosa foi morto em uma troca de tiros com a Polícia Militar (PM) na manhã desta terça-feira (5), em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Alberto Raimundo, 35 anos, foi apontado como um dos responsáveis pela morte da psicóloga Melissa Almeida, que atuava na Penitenciária Federal de Catanduvas, no oeste do Paraná. Ele tinha três mandados de prisão. Uma pistola nove milímetros foi apreendida e também um carro clonado, usado por ele.

 

 

O Serviço de Inteligência da PMPR recebeu uma informação de que Raimundo estaria morando em uma casa, na rua Pedro Martins esquina com a Primula, no bairro Campina da Barra, já há algum tempo. De acordo com o capitão Paulo Alexandre da Rone, a equipe foi recebida a tiros.

“Tivemos a informação de que o faccionado do PCC estava escondido aqui em uma casa e que teria contra ele um mandado de prisão. A equipe do serviço reservado foi fazer essa averiguação e quando chegou em frente a casa ele estava saindo e já sacou a pistola e efetuou disparos contra a equipe, que revidou”, descreveu.

O capitão confirmou a participação dele na morte da psicóloga e ainda completou citando outras ações ilícitas envolvendo Raimundo. “A princípio, ele participou da morte da psicóloga do Depen de Cascavel, não efetivamente disparando tiros, mas planejando. Ele também era procurado pela Polícia Federal. Encontramos ainda um carro roubado, clonado, e um material de roubo de carga, vamos recolher e entregar na delegacia”, completou.

A Polícia Científica foi acionada, assim como o Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba para recolhimento do corpo. Raimundo estava com duas pistolas, um veículo C3 clonado com alerta de roubo e parte da carga de um roubo de produtos da Receita Federal, que aconteceu em março desse ano, avaliada em um milhão de reais.

Vídeo

Assista ao vídeo registrado no local: