Moradores do bairro Lamenha Grande, em Almirante Tamandaré, região metropolitana de Curitiba, não aguentam mais os casos de arrombamentos contra residências nas vilas da localida. Dia após dia, dezenas de casos semelhantes acontecem e os prejuízos não param de acumular. Só nesta segunda-feira (11), foram duas casas violadas e uma tentativa. Cada visita indesejada causa em média um prejuízo de R$ 10 mil.

Um morador, que trabalha como motorista e preferiu não se identificar, contou à Banda B que nos últimos 15 dias as ações se intensificaram. “Recentemente, eles arrombaram a casa do meu vizinho, levando televisão e outros eletrônicos. Depois, foram para a minha casa e pularam, levando as duas televisões. Nós estamos sem paz aqui na região Por que a Polícia Militar não faz nada?”, questionou.

De acordo com o morador, a situação é revoltante na região. “É revoltante você saber que estes marginais entram na tua casa, quando você está trabalhando. Você chega cansado e te levam tudo. Isso é lamentável”, reclamou.

Mudaram o carro

Na ação contra o primeiro morador, os bandidos estava em um Corsa bege. Agora, eles estão usando um Gol vermelho. O modo de agir é semelhante: estacionam o carro na frente da residência e quebram o cadeado, esperando o momento em que não há nenhum morador no local.

De acordo com outra moradora da região, que tem uma irmã vítima dos arrombadores, a ação dos marginais aconteceu há algumas semanas, na Vila Pacheco. “Ela havia acabado de se mudar, há um mês, e aconteceu isso. Estouraram o cadeado e levaram televisão, som e até a geladeira. Tinha dinheiro também, mas não deu tempo, porque os bandidos fugiram com a chegada de vizinhos”, relatou.

Ainda segundo ela, 15 dias depois novas ações em série da quadrilha. “Mais duas casas arrombadas no Jardim São Carlos. Segunda-feira passada foi a casa do meu primo. Ontem de manhã, duas casas arrombadas, uma na Vila Suiça. Temos as imagens, placas do veículo e passamos tudo para a polícia. Queremos que algo seja feito”, pediu.

A moradora também contou que a sua irmã, vítima dos marginais, está em choque. “Ela está em traumatizada e com medo. Teve um prejuízo de mais de R$ 12 mil. É uma situação muito complicada”, concluiu.

A Delegacia de Almirante Tamandaré investiga o caso.

Sobre o caso, a PM enviou a seguinte nota:

A cidade de Almirante Tamandaré recebe o policiamento preventivo e ostensivo com a aplicação dos efetivos da Radiopatrulha (RPA), da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM) e da Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM). A atuação das equipes no atendimento às ocorrências é diuturno e quando a PM é acionada, sempre prioriza as situações de maior risco à vida. A PM conta com o apoio da sociedade para que faça denúncias e repasse informações sobre pessoas suspeitas pelo telefone 190. Também está disponível à população o app 190 Emergência Paraná, que pode ser baixado pelo Google Play gratuitamente.

Assista ao vídeo da ação dos marginais nesta segunda-feira: