Restaurantes, bares e lanchonetes, em diversas regiões de Curitiba, têm sofrido com uma onda de arrombamentos e roubos nas últimas duas semanas. O restaurante Paraguassu Grelhados, no bairro Juvevê, foi alvo da ação de criminosos duas vezes, apenas nesta quinta-feira (15).

Silvana, proprietária do Paraguassu, explica que a primeira invasão aconteceu no início da noite e a outra no início da madrugada. “Entrou uma pessoa pelo telhado às 18h15, arrombou meu caixa e em um minuto foi embora. Às 00h15, ele voltou com mais uma pessoa pelo mesmo lugar, com mochila e aí levaram bebidas. Ficaram 5 minutos e foram embora”, relata ela.

Ao todo, os ladrões levaram oito garrafas de vinho, três garrafas de whisky e 500 reais do caixa. “Foi um prejuízo, isso sem contar o transtorno para trocar o telhado e a limpeza do restaurante, porque eles sujaram tudo”, afirma Silvana.

Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que os dois suspeitos invadem o estabelecimento. Assista:

Onda de roubos

Relatos de roubos como esse têm sido frequentes entre os proprietários de estabelecimentos comerciais, especialmente nas últimas duas semanas.

“Nosso vizinho, o Mukeka foi arrombado também. Uma pizzaria próxima daqui é outra vítima. O Jacobina sofreu com dois arrombamentos na semana passada. Na minha região, os relatos de assalto incluem salão de beleza, loja de produto de material de limpeza, casas, e tudo no intervalo da semana passada para cá”, reclama a proprietária do Paraguassu

Por conta das reclamações, o Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba (SindiAbrabar) pediu providências e ação preventiva ao serviço de inteligência da Policia Civil e Militar para combater a onda de arrombamentos e roubos na região do Centro, Juvevê, Alto da Glória e Cristo Rei.

“Nós estamos alertando desde o início da pandemia que isso vem aumentando. Agora alguém tem que tomar uma providência, os empresários estão nos cobrando e temos que ajudar a resolver e principalmente estancar e solucionar estes casos. Os marginais precisam saber que existe poder constituído e ações para coibi-los”, afirma Fábio Aguayo, Presidente da SindiAbrabar.

A reportagem da Banda B entrou em contato com a Polícia Militar (PM) e com a Polícia Civil (PC) para uma posição sobre as reclamações dos empresários. A PM não retornou aos nossos contatos e a PC disse que todos os casos registrados em Boletins de Ocorrência estão sendo investigados.