César morreu em março de 2013, após ser atacado na frente de um bar. (Foto: Arquivo pessoal)

 

Seis anos após a morte de um jovem por supostos skinheads em Curitiba, a Justiça do Paraná marcou o julgamento de dois suspeitos para o dia 12 de agosto deste ano. O crime aconteceu na madrugada do dia 17 de março de 2013, quando César Roberto da Silva Filho, de 24 anos, foi assassinado a facadas na frente de um bar no bairro São Francisco.

As investigações apontaram que o rapaz, que afirmava ser punk, teria sido atacado por um grupo de skinheads após um tumulto na esquina das ruas Trajano Reis e Inácio Lustosa. Cinco suspeitos foram identificados pela polícia com a ajuda de imagens de câmeras de segurança no local. Entre eles, dois menores, que foram julgados pela Vara de Adolescentes Infratores.

O homem acusado de ter golpeado César com uma facada no pescoço, Waly Ibrahim, está foragido. Já Everton de Oliveira de Matos e Yngwie Hendrix Xavier Pereira, que respondem o processo em liberdade, serão julgados em agosto.

O advogado da família de César, Edson Facchi Júnior, afirmou que, mesmo depois de tanto tempo, a confirmação do júri popular era bastante esperada. “Nós estamos esperançosos. Os familiares clamam por justiça e ela finalmente está chegando. Os autos mostram que várias pessoas participaram da morte, houve um tumulto no bar e o homicídio, as imagens das câmeras são claras”, disse ele em entrevista à Banda B.

Segundo Facchi Júnior, a família está confiante de que os réus serão condenados. “Foi um assassinato covarde, várias pessoas contra uma. Eles atacaram o César por trás, enquanto ele estava quieto dentro do estabelecimento. Ele não tinha nenhuma intenção de brigar e acabou morto por um motivo torpe”, finalizou.

Linha do tempo

O Ministério Público do Paraná (MPPR) ofereceu denúncia contra os suspeitos em novembro de 2014, um ano e oito meses depois do crime. Em junho de 2017, a Justiça confirmou o julgamento dos réus, mas a defesa recorreu e uma nova decisão sobre o júri saiu em junho do ano passado. Neste ano, o júri foi marcado para agosto.