O juiz Daniel Surdi de Avelar determinou, em decisão de pronúncia publicada neste mês de maio, que um torcedor do Paraná Clube vá a júri popular pela morte de um torcedor do Coritiba. O crime aconteceu em novembro do ano passado, após uma confusão entre ambas as torcidas na Linha Verde, em Curitiba.

Lucas morreu em novembro do ano passado (Reprodução)

De acordo com Avelar, há indícios de que Deyvis Lourival Moreira da Silva Júnior seria o suposto autor do fato, “eis que duas testemunhas que depuseram em juízo, em versões totalmente convergentes, o apontam como o responsável por atirar em Lucas Siebre Gonçalves, indicando a compleição física e a roupa vestida pelo acusado no dia dos fatos, bem como o local de onde supostamente teria efetuado os disparos.”

Dayvis responde por homicídio qualificado por motivo fútil e meio que resultou em perigo comum. Ele está preso há quase seis meses na Penitenciária Estadual de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.

Defesa

Em nota, o advogado de Deyvis disse discordar da pronúncia. Confira na íntegra:

A defesa do acusado Deyvis Júnior discorda da decisão de pronúncia, diante da fragilidade das provas acusatórias a sustentar a imputação de crime de homicídio.

As únicas duas testemunhas de acusação, são integrantes da torcida rival, e apresentaram mais de uma versão dos fatos nos diferentes depoimentos prestados.

Além da fragilidade dos testemunhos acusatórios, um dos investigados confessou ter efetuado disparo de arma de fogo e afirmou ser único torcedor armado na data dos fatos.

Já Deyvis, desde o início das investigações, contribuiu com a elucidação dos fatos e foi uníssono em seus depoimentos, negando qualquer envolvimento na morte da vítima, indicando, inclusive, provas de sua inocência.

Apresentamos recurso perante o Tribunal de Justiça para que as provas sejam reanalisadas. Buscamos a despronúncia de Deyvis com o consequente reconhecimento de sua inocência.

Advogado Jeffrey Chiquini

Crime

Lucas Siebre Gonçalves foi morto após partida entre Coritiba o Oeste, pela Série B do Campeonato Brasileiro. De acordo com testemunhas, o crime aconteceu após uma tentativa de invasão contra uma festa de torcedores tricolores, no bairro Xaxim.

Desde o início, Deyvis nega ser o autor do crime.