A Justiça decretou, na tarde deste sábado (13), a prisão preventiva do empresário Bruno Ramos Caetano, suspeito de ser o mandante dos assassinatos do advogado Igor Kalluf e do amigo dele, Henrique Mendes Neto, na tarde da última quinta-feira (11) na loja de conveniências de um posto de combustíveis, no Centro de Curitiba.

 

Ontem, a defesa do empresário afirmou que a versão do crime apresentada pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) é fantasiosa. O advogado Cláudio Dalledone criticou o direcionamento das investigações, comandadas pela delegada Tathiana Guzella. “A primeira versão apresentada pela delegada é fantasiosa. É um roteiro que não vai persistir, que não vai perdurar, que não vai aguentar o mínimo contraditório quando as perícias começarem a chegar, quando as testemunhas começarem a falar. A narrativa dela vai cair por terra”, afirmou.

(Foto: Reprodução)

 

Dalledone assumiu a defesa do suspeito horas após a prisão de Bruno, que aconteceu na casa dele, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Para a polícia, ele é o mandante do crime contra o advogado Igor, 40 anos, e Henrique, 38 anos. Segundo versão apontada pela DHPP, Bruno estava sendo cobrado por uma dívida de R$ 480 mil em pedras preciosas. O cobrador, um ourives, teria contratado o advogado Igor para que a cobrança fosse mais contundente, visto que Bruno estaria devendo o valor mencionado desde o ano passado.

O advogado de defesa de Bruno nega que ele seja o mandante do crime. “Com base em que? Sequer o celular foi apreendido, nem foi analisado. Com base na versão do ouvires? Isto é muito frágil. A versão dela, a convicção dela, cairá por terra. O ourives é tão suspeito quanto o Bruno e merece ser investigado. A sua versão merece ser confrontada e contrastada com os outros investigados. Ele não está do lado da verdade. Ele tem que estar preso e assumir a sua versão, que é mentirosa, tem que ser contrastada com os demais elementos. Inclusive, eu vou pedir uma acareação, imediatamente, entre Bruno e ele (ourives), e vocês irão ver”, afirmou à imprensa.

O caso

Dois homens em um posto de combustíveis, limite entre Batel e Centro de Curitiba, foram mortos a tiros por dois suspeitos armados. O caso aconteceu no final da tarde desta quinta-feira (11). Câmeras de segurança no local registraram toda a ação dos atiradores. Nas imagens, é possível ver um dos suspeitos tirando uma arma da cintura e apontando contra um grupo de quatro pessoas sentadas ao redor de uma mesa do estabelecimento, entre elas o advogado Igor Martinho Kaluff.

Outro suspeito armado, com uma garrafa na mão, se aproxima e acompanha a discussão que se desenrola. Duas pessoas que estavam sentadas na mesa saem do posto durante a briga e na sequência um terceiro suspeito armado entra no local. Nesse momento dois atiradores entram em ação e as duas vítimas são mortas dentro da loja de conveniência.