Em decisão de pronúncia, a juíza de Direito Taís de Paula Scheer definiu, nesta quarta-feira (9), que o médico Raphael Suss Marques, acusado de matar a namorada fisiculturista Renata Muggiati, em Curitiba, vá a júri popular. Além disso, ela manteve a prisão preventiva de Suss, acusado por homicídio qualificado (feminicídio, motivo torpe e sem dar possibilidade de defesa para a vítima), lesão corporal e fraude processual.

Muggiati e Suss Marques (Foto: Reprodução)

 

Na decisão, a juíza salientou que ‘o laudo de exame de local e o resultado da reprodução simulada dos fatos, constituem indicativos aptos a corroborar a tese de ocorrência do crime de homicídio, sobretudo porque indicam inconsistências na versão de suicídio apresentada pelo acusado’, afirmou.

A juíza Taís Scheer ainda ratificou a versão de testemunhas. ‘Relataram que, na data dos fatos, ouviram um grito feminino muito alto e, após, uma batida/estrondo. Assim, verifica-se que existem indícios suficientes de autoria e da existência do delito de fraude processual, conexo ao crime de homicídio qualificado, pelo que deve o acusado ser submetido a julgamento perante o Tribunal do Júri’, ponderou.

Monitorado eletronicamente, Suss Marques foi flagrado jogando poker e acabou preso preventivamente

Prisão mantida

Sobre a prisão preventiva do médico, a juíza lembrou o descumprimento das medidas cautelares no período de monitoramento eletrônico, quando o acusado chegou a participar de um campeonato de poker. ‘Ressalte-se que o acusado estava em período de monitoração eletrônica e outras medidas cautelares diversas da prisão quando fatos supervenientes foram demonstrados, indicando o reiterado descumprimento delas, restando comprovada a imprescindibilidade da ordem de prisão preventiva’, destacou.

O caso

Renata Muggiati morreu no dia 12 de setembro de 2015. Ela estava no 31º andar de um prédio no Centro de Curitiba, no apartamento de Suss Marques, que é acusado de asfixiar e depois jogar o corpo da fisiculturista pela janela do apartamento. Como é uma decisão de pronúncia, ainda não há uma data para o júri.