O jovem Eduardo Purkote, de 18 anos, que chegou a ser preso em novembro, acusado de envolvimento na morte do Jogador Daniel de Freitas, foi detido na madrugada desta terça-feira (5), em uma festa de carnaval de rua em Guaratuba, no litoral do Paraná. De acordo com o Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (B.O.), que a Banda B teve acesso, Purkote teria se envolvido em uma briga e resistido à prisão. Ele foi encaminhado à delegacia, assinou Termo Circunstanciado e liberado. Uma audiência no Juizado Especial está marcada para esta terça-feira.

Eduardo Purkote estava na festa na casa da família Brittes, local onde Daniel foi espancado e levado para ser morto. Num primeiro momento,  o jovem chegou a ser acusado de ter participado das agressões, mas, na sequência, foi liberado a pedido do Ministério Público do Paraná, que afirma que os ‘verdadeiros criminosos’ tentaram implicar Eduardo  no crime, com o objetivo de confundir as autoridades. Hoje, ele é considerado  uma ‘testemunha presencial’ do caso.

Eduardo em momento que aparece na festa na casa da família Brittes – Reprodução

Na madrugada desta terça-feira, Eduardo novamente se envolveu em uma ocorrência policial na Avenida 29 de abril, no centro de Guaratuba. De acordo com a descrição feita pelos policiais militares no B.O., a equipe foi chamada para atender a um caso de briga nesta festa de rua em Guaratuba. Chegando ao local, os policiais constataram que Eduardo e mais um rapaz teriam trocado socos e aparentavam estar embriagados.

O  B.O. descreve que os policiais determinaram que os dois rapazes deixassem a festa, porém, mais tarde, Eduardo voltou e empurrou uma soldado. Foi dado voz de prisão e ele teria fugido do local, sendo alcançado logo em seguida.

De acordo com o relato dos policiais, um amigo de Eduardo também foi detido por desacato por chamar os policiais de “covardes”.

O Boletim de Ocorrência informa ainda que, antes de ser levado para a delegacia, Eduardo foi conduzido  até uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para atendimento médico, pois apresentava lesões superficiais.

A polícia registrou ainda os nomes de várias testemunhas dos fatos relatados.

Na Delegacia, os envolvidos foram ouvidos, assim como as testemunhas. Por volta das 4h30, os acusados foram libertados após assinatura de termo Circunstanciado. O caso será tratado diante de  um juiz, em uma audiência no Juizado Especial, marcada para esta terça-feira.

A Banda B não conseguiu contato com a defesa de Eduardo Purkote. O espaço está aberto para manifestações.

Relacionada: