Por Luiz Henrique de Oliveira

exercitodentroGiovanni era cabo do Exército e morreu aos 22 anos (Foto: Reprodução Facebook)

O cabo do Exército Giovanni Porcides, de 22 anos, foi baleado na saída de um bar nas proximidades do bairro Alto da XV, em Curitiba, após uma discussão no trânsito. Em entrevista à Banda B, um amigo da vítima, que não quis se identificar, revelou que o amigo saia da balada quando quase foi atropelado por um Fiat Uno branco. Ao tentar se desculpar, o motorista partiu para cima de Givanni e um amigo, com a confusão culminando com o tiro disparado contra o cabo.

“Foi um motivo fútil. O rapaz que atirou sequer era conhecido do Giovanni e eles não estavam no mesmo bar. O rapaz saiu do carro e começou a agredir o Giovanni e o amigo, quando eles foram pedir desculpas. De repente ele pegou uma arma e atirou contra o meu amigo. Não sei bem o que rolou, mas o que sabemos é isso. Estamos de luto por perder um grande amigo como o Giovanni”, lamentou em entrevista à Banda B, na tarde desta segunda-feira (6).

Além do Fiat Uno branco, outros rapazes que estavam em um Corsa Classic teriam dado cobertura para o assassino, de acordo com as testemunhas. Giovanni levou o tiro na costela no momento em que se dirigia para o caro, estacionado nas proximidades da Rua Itupava. A briga ocorreu por volta das 3h de domingo e Giovanni morreu durante a tarde, no Hospital Evangélico.

Investigação

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o crime e faz diligências em busca de suspeitos. De acordo com o delegado Miguel Stadler, como o movimento estava muito grande na rua e parte da pista estava ocupada, os ocupantes do Uno teriam acelerado em direção ao Giovanni. “A vítima teria se abaixado para conversar com o Uno, mas um rapaz do Corsa teria partido para cima dela e entrado em luta corporal, culminando no golpe”, explicou.

Segundo o delegado, o motorista do Corsa é o principal suspeito pelo assassinato.

Comoção

Giovanni Porcides tinha muitos amigos nas redes sociais e uma grande comoção tomou conta das páginas de colegas no Facebook, lamentando a perda.

“Perdi mais que um amigo, perdi meu melhor amigo, meu irmão. Desde que me conheço por gente você sempre teve do meu lado, em todos momentos difíceis, momentos felizes, momentos inesquecíveis. Praticamente 20 anos do seu lado (…) Ta doendo muito meu coração, duas perdas de pessoas muito queridas pra mim no mesmo mês, me mande força irmão, to precisando ://// mundo injusto, vc tava tão feliz”, diz um dos amigos.

Qualquer informação à DHPP pode ser repassada pelo telefone 3360-1400.

“Hoje meu coração esta despedaçado pela perda irreparável que tive hoje, só tenho a agradecer você ter entrado na minha vida. Você era um cara especial, nunca tinha tempo ruim , fazia de tudo por nós, hoje o céu esta em festa pela sua chegada (…) vai ficar pra sempre em meu coração sua amizade , seu companheirismo porque não perdi um amigo perdi um irmão uma pessoa que eu considerava da família, daria tudo pra te ter de novo aqui irmão”, lamentou outro amigo pelo Facebook.

Notícia Relacionada:

Briga ao pegar o carro na saída da balada termina com morte de jovem no Alto da XV