O jovem que foi perseguido e esfaqueado por dois homens na Praça Rui Barbosa, no Centro de Curitiba, estaria se relacionando com a suposta mandante do crime até o dia do ataque, ocorrido em 11 de novembro. A mulher foi presa preventivamente na última sexta-feira (11), também na região central.

Segundo a delegada Tathiana Guzella, da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), o inquérito que investiga a tentativa de homicídio contra o jovem está perto de ser concluído. “Há uma pessoa presa que acredita-se ser a mandante do crime. Duas pessoas estão foragidas, e há indícios de que um deles tenha fugido para São Paulo horas após o ocorrido”, disse.

O homem foi socorrido em estado gravíssimo ao hospital e precisou ser internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Crime

A vítima foi perseguida pelos criminosos e tentou se proteger em uma farmácia. Contudo, ele foi esfaqueado mesmo dentro do estabelecimento. Conforme afirmou Guzella, os autores só pararam de golpeá-lo pois pensaram que ele estava morto.

“Antes de entrar na farmácia, houve perseguição em via pública e na praça. Ele entrou no local para tentar pedir ajuda, mas não deu tempo”, explicou. E continuou: “Em seguida, os dois armados desferiram inúmeras facadas contra ele. A vítima desmaiou e os suspeitos acreditaram que ele estava morto. Inclusive comentaram com outras pessoas que ele teria morrido”.

Foto: Banda B

Motivação

Depois de alguns depoimentos colhidos e provas analisadas, a Polícia Civil concluiu que a tentativa de homicídio é ligada a uma promessa de vingança feita pela mulher com quem a vítima se relacionava. Segundo a delegada, caso traísse a companheira, o jovem seria morto.

“É um motivo torpe, o que qualifica um homicídio qualificado”, destacou Tathiana.

Ainda, segundo Guzella, a suposta mandante e o jovem tinham um relacionamento até o dia das facadas. “A ex-companheira, após o crime, se mudou na tentativa de se esquivar da investigação”, concluiu.