A Polícia Civil prendeu dois irmãos, de 19 e 22 anos, suspeitos pelo homicídio de Willian Ivaldo Vechorkoski, de 28. O crime aconteceu no dia 30 de agosto deste ano, no bairro Augusta, em Curitiba. A prisão dos indivíduos foi realizada na última quinta-feira (19) na saída de um posto de saúde, no mesmo bairro do crime.

O assassinato aconteceu após uma briga entre a vítima e os suspeitos. Segundo a Polícia, o rapaz de 19 anos teria segurado Vechorkosk, para que o irmão o golpeasse com facadas. “Na época, ele estava na rua voltando da casa de um parente quando encontrou a dupla. Possivelmente, eles estavam sob o efeito do álcool para estar com os ânimos exaltados. O que levou a briga”, disse o delegado Thiago Nóbrega, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), à Banda B.

 

Foto: Polícia Civil

 

Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a vítima recebeu 11 facadas pelo corpo, principalmente na região do abdômen. Vechorkosk morreu no local e, de acordo com a DHPP, os suspeitos teriam fugido logo em seguida.

Nóbrega explicou como foram as investigações. Segundo ele, como o fato aconteceu em uma via pública, diversos carros e pessoas que presenciaram o crime testemunharam na Polícia Civil.

“Eles reconheceram os autores deste crime. Então, a prisão temporária foi decretada pela Justiça. Os irmãos estavam em um local desconhecido desde aquela época. Porém, na última semana, conseguimos uma informação que nos levou até ao posto de saúde”, disse o delegado.

Motivação

Depois de serem levados à delegacia, Nóbrega disse que os irmãos deram detalhes e confessaram o crime. Segundo o delegado, eles realmente confirmaram que tudo aconteceu após um desentendimento. “Disseram que foi uma discussão e a vítima foi para cima deles. Chegou, inclusive, segundo a versão deles, a atacar uma pedra na dupla. Então, por estarem em vantagem, um deles o imobilizou e o outro desferiu as facadas”, comentou.

Os irmãos ainda teriam alegado que o crime foi de momento e não houve a intenção de matar. “Mas ninguém desfere onze facadas no abdômen de uma pessoa, se não tem a intenção de matar. Por isto, eles foram presos e agora vão responder pelo o que fizeram”, concluiu Nóbrega à Banda B.