Vagner do Prado, 41 anos, é alvo de uma denúncia criminal oferecida pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 5ª Promotoria de Justiça de Crimes Dolosos Contra a Vida da capital. Ele é um dos envolvidos na morte de Oziel Branques dos Santos, de 40 anos, que tentou defender um casal homoafetivo de insultos homofóbicos e transfóbicos no dia 16 de junho dentro de um ônibus em Curitiba.

Padrão edição – não apagar.01_02_25_14.Quadro379
Foto: Reprodução

A denúncia indica os crimes de homicídio qualificado (por motivo torpe, emprego de meio cruel e praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima), corrupção de menor e transfobia (injúria transfóbica equiparada a racismo).

Além de Vagner, o sobrinho dele, um adolescente de 17 anos também participou do crime. Assim como o denunciado, o menor também está detido, e seu processo corre sob sigilo na Vara da Infância e da Juventude.

Entenda o caso

O crime aconteceu em um ônibus biarticulado da linha Santa Cândida/Capão Raso, no bairro Alto da Glória, em Curitiba, próximo à estação-tubo Maria Clara, na Avenida João Gualberto. O registro da ocorrência feito pela Polícia Militar mostra que uma equipe foi acionada para atender ao caso às 22h06 de domingo (16).

Oziel Branques dos Santos, morto esfaqueado em onibus
Oziel Branques dos Santos, morto a facadas aos 40 anos após defender casal de ataque homofóbico – Reprodução/Redes sociais

Imagens de uma câmera de monitoramento instalada dentro do coletivo e divulgadas pela Polícia Civil mostram que Camila Marçal Dias e Jean Carlos de Oliveira, alvos dos insultos, estavam sentados em um banco próximo ao fundo do veículo. Poucos segundos depois, Vagner do Prado e o sobrinho furam a catraca no momento em que o ônibus para em uma estação-tubo e se aproximam do casal, ambos de 18 anos.

Tio e sobrinho começam a provocar o casal. É possível ver Vagner dando um tapa no boné de Jean. Oziel, que estava sentado próximo, se levanta e intervêm na situação. “Tem um roubo aqui”, diz ele que na sequência entra em luta corporal com Vagner.

É neste momento em que o menor pega uma faca e ataca Oziel com diversos golpes. O denunciado teria segurado a vítima para que seu sobrinho o esfaqueasse, atingindo-o por 16 vezes.

Após o crime, tio e sobrinho fugiram em direção ao Passeio Público, no centro de Curitiba, mas foram presos por policiais militares. A faca usada no crime, que tem uma lâmina de 20 centímetros, foi encontrada com o adolescente.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Homem que matou passageiro de ônibus que defendeu casal homoafetivo é denunciado pelo MP por homicídio e transfobia

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.