Por Elizangela Jubanski e Juliano Cunha

Um homem de 28 anos que atuava como pastor em uma igreja evangélica em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, foi preso no fim da tarde desta quinta-feira (26). Ele está sendo acusado de estupro de vulnerável contra três irmãs menores de idade. Na acusação, ele teria utilizado a confiança que a família depositou nele para conseguiu cometer os abusos.

De acordo com o delegado João Chagas, que comandou a prisão, as irmãs têm 10, 12 e 14 anos. “A acusação que tem contra ele é estupro de vulnerável. A gente foi procurado pelas irmãs, por intermédio de um adulto, um parente delas, para relatar os abusos. Com uma delas apenas uma tentativa, com a outra ele chegou a fazer um ato libidinoso diverso da conjunção carnal e com a terceira teria acontecido o ato da conjunção carnal, mesmo”, descreveu o delegado.

Ainda, segundo a polícia, a família teria adquirido confiança no homem pelo fato de ser pastor em uma igreja que eles frequentavam. “Por ser pastor, acabou aproximando as crianças dele e, com isso, sempre levava uma, duas, ou até mesmo as três irmãs para a igreja dentro do veículo dele. Com essa desculpa se ir buscá-la em casa ou ir levá-las, os atos aconteciam dentro do carro dele”, relata Chagas.

O nome do pastor não foi divulgado pela Polícia Civil e a informação preliminar é que ele já tinha inquérito policial pelo mesmo crime. “Existe um indicativo criminal dele de que teria cometido um abuso sexual referente a outra criança na cidade de Curitiba. O pessoal ficou sabendo do local e gerou uma revolta, estamos tentando uma remoção dele daqui com rapidez”, finaliza o delegado.

O suspeito foi encaminhado à delegacia do município, mas teve que ser removido em função da revolta da comunidade local. A delegacia continua investigando o caso e não descarta que ele tenha feito mais vítimas.